A montagem da estrutura do Hospital de Campanha em Divinópolis terminou nesta semana e o local começou a ser equipado nesta sexta-feira (3), segundo informou o secretário de Saúde Amarildo de Sousa, durante entrevista coletiva por meio do Instagram da Prefeitura.


Segundo Amarildo, a expectativa é que o hospital esteja pronto para uso a partir da próxima quarta-feira (8). Cerca de 70 profissionais vão atuar no enfrentamento à Covid-19 e trabalhar exclusivamente nas dependências do Hospital de Campanha, que foi construído no estacionamento da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Padre Roberto, no Bairro Nações.
“Vamos começar a colocar os leitos nesta sexta. Os respiradores estão chegando e creio que na semana que vem devem ser colocados no hospital também. Temos que fazer o recrutamento das pessoas que vão trabalhar”, disse o secretário.


O valor de custeio mensal da unidade foi orçado em pouco mais de R$ 1 milhão. No entanto, os valores serão auditados mês a mês, podendo ser alterados. As despesas serão custeadas pelo plano de contingência do Estado.


A gestão ficará a cargo do Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Social (Ibds), mesma administradora da UPA.


Coronavírus
Ainda na coletiva, o secretário informou sobre os números referentes ao informe diário que o município tem feito sobre a doença na cidade. Nesta sexta, a cidade manteve, até o momento, os mesmo números de quinta (2). São 14 confirmações para o coronavírus e 692 casos suspeitos em investigação.


Segundo Amarildo, por recomendação médica, há 407 pessoas no município em isolamento por ter apresentado algum sintoma de gripe ou resfriado, mesmo que, a princípio, não tenham ligação com o coronavirus.


Hospital de campanha
O hospital de campanha está previsto no Plano Especial de Combate ao Coronavírus e contempla moradores que usam a UPA Padre Roberto dos municípios de Divinópolis, Carmo do Cajuru, São Sebastião do Oeste e São Gonçalo do Pará.


Serão disponibilizados 20 leitos de Suporte Avançado de Vida (SAV) equipados com respiradores e 20 leitos de observação.


Mais de 70 profissionais vão fazer parte da unidade, sendo 40 técnicos de enfermagem, oito enfermeiros, um coordenador médico, 16 médicos intensivistas, oito auxiliares de serviço, dois agentes administrativos, dois fisioterapeutas, um psicólogo e um coordenador geral.
Conforme Amarildo, além do Hospital de Campanha o município também já viabilizou outros locais na cidade, para que sejam utilizados como ponto de apoio caso a UPA e hospitais fiquem excedam a capacidade máxima de leitos.


“Fizemos uma parceria com a Congregação das Irmãs responsáveis pelo Hospital Bento Menni em Divinópolis, e, junto a parceria de empresários vamos reformar uma ala do Bento Menni para que sejam disponibilizados lá mais 40 leitos. A intenção é termos esse ponto de apoio em caso de necessidade” finalizou Amarildo.


Restrição comércio
Amarildo também falou durante a coletiva sobre o novo decreto publicado pela Prefeitura com medidas de enfrentamento ao coronavírus e que autoriza alguns setores do comércio retomarem o funcionamento.


Após a publicação do decreto que limitou a atividade do comércio na cidade, várias empresas tiveram o funcionamento suspenso. De acordo com o secretário, é necessário que as demais atividades do comércio, que não estão citadas no decreto desta quinta, respeitem a recomendação de não reabrir.


“Nesse momento é importante o isolamento domiciliar, as pessoas têm que ficar em casa. Não é para ir para sítios, fazer festa, ou mesmo reabrir aqueles serviços dos quais a recomendação ainda, é manter o fechamento. Por isso, eu peço a ajuda e a colaboração de todos. Em breve vamos poder voltar à normalidade, mas até isso é necessário que tenhamos esse isolamento. E Divinópolis está seguindo as recomendações estaduais e também federal”, concluiu.

Fonte: G1

Imprimir
Comentários