Há quatro anos o prefeito Eugênio Vilela iniciou seu governo, no vermelho. Isto em matéria de comprometimentos financeiros e disponibilidade em caixa do município, por ele herdados. Mas agora, na confortável condição de reeleito, já em 2021, ele terá a chance de nos governar, apenas prestando obediência a um orçamento produzido por sua equipe e, melhor que isso, com zero de dívida a lhe atormentar. Isto foi o que ele mesmo afirmou quando nos concedeu a primeira entrevista, logo após as apurações dos votos e ainda no calor das comemorações em companhia de boa parte de sua equipe e de correligionários. 

Eugênio, em tom conciliador, também afirmou que pretende governar a cidade tendo em mente que é prefeito de todos os formiguenses; seus eleitores, ou não! Tanto ele como sua vice Adriana Prado afirmaram que, passadas as eleições, estarão voltados para o cumprimento dos planos que explicitaram no programa de governo, mirando na melhoria das condições de vida da população formiguense, sem ressentimentos com os até então adversários e se fixando em implementar ações que visem aprimorar e facilitar a prestação dos serviços públicos que cabem aos municípios ofertar à população.

Passado o calor dos últimos dias de campanha, que todos reconhecemos foi  bem tumultuado, e agora, sendo  conhecedor da nova composição da Câmara Legislativa, Eugênio, que certamente muito aprendeu no tocante ao relacionamento entre os poderes e sem dúvida, politicamente está muito mais experiente, já que  vivenciou as agruras que o poder lhe propiciou ao atuar nos dois poderes, ele obviamente já fez suas contas e analisando os perfis dos ocupantes das cadeiras do Legislativo deve ter feito suas contas e imagina o que virá pela frente.

Em final de dezembro, conforme ele mesmo anunciou, cumprirá a lei e promoverá a exoneração do secretariado e dos muitos cargos de confiança que compuseram sua equipe nos quatro anos que agora findam.

Esta será a oportunidade para, se assim entender, ajustar as engrenagens da máquina pública que sobre sua direção, terá que funcionar melhor ainda, até 2024.

Pelo visto, não há pressa para que os cargos sejam preenchidos e Eugênio bem sabe e conhece quais e quem melhor os preencherá.

Ao que se sabe, e isto nos parece bem provável de ocorrer, dentro de dois anos, Eugênio até poderá aceitar a oferta do senador Rodrigo Pacheco, que pelo andar da carruagem poderá vir a disputar a cadeira que hoje é ocupada pelo Zema. Não é segredo o fato de que o senador gostaria de ver Eugênio o auxiliando na campanha e, pela experiência política e currículo do nosso professor de administração e prefeito, terá ele chances de, tranquilamente, galgar outros cargos na esfera administrativa estadual.

Se isto ocorrer será a chance da jovem e competente Adriana Prado assumir por inteiro a direção dos destinos administrativos e políticos da cidade para, quem sabe, logo adiante, disputar, a cadeira principal do Executivo local.

É claro que esta, tida hoje como mera conjectura, já é motivo de preocupação para outros postulantes a tal cargo, alguns desde fazendo uma espécie de estágio probatório na Câmara.

Aguardemos e logo-logo, teremos certeza se há fundamentos que justifiquem esta suposição.

Fato a ser lembrado é o de que Eugênio precisa fazer um excelente governo e terá como fonte de comparação, o dele mesmo, que se começou falido, sejamos justos, termina muito bem falado. O administrador colocou sim, a máquina nos trilhos e até parece que já sabia que em 2021, viria novamente como o principal condutor da mesma.  

Imprimir
Comentários