Uma pesquisa nacional sobre bullying nas escolas (agressões físicas ou verbais recorrentes) mostrou que 21% dos casos ocorrem nas salas de aula, mesmo com os professores presentes. Dos 5.168 alunos de 5.ª a 8.ª séries de escolas públicas e particulares de todas as regiões do país entrevistados, 10% disseram ser vítimas de bullying e outros 10% se declararam agressores, sendo que 3% são ao mesmo tempo vítimas e agressores.
O estudo, feito pelo Centro de Empreendedorismo Social e Administração em Terceiro Setor (Ceats/FIA) para a organização não-governamental (ONG) Plan Brasil, mostrou o despreparo das instituições de ensino e dos professores.
A ocorrência de bullying foi verificada nas cinco regiões no país e segue uma distribuição semelhante à observada para maus tratos, sendo mais frequente entre os estudantes da região Sudeste – 15,5% -, deles foram vítimas de bullying em 2009. Na sequência estão Centro-oeste (11,7%), Sul (8,4%), Norte (6,2%) e Nordeste(5,4%).
Para a pesquisa, foram selecionadas cinco escolas de cada uma das cinco regiões geográficas do país, sendo 20 públicas municipais e cinco particulares. Quinze estão localizadas em capitais e 10 em municípios do interior.
Participaram do estudo 5.168 alunos que responderam ao questionário. Também foram realizados 14 grupos focais com 55 alunos, 14 pais/responsáveis e 64 técnicos, professores ou gestores de escolas localizadas nas capitais pesquisadas

print
Comentários