Ao menos 45 pessoas, incluindo 12 crianças, morreram nesta terça-feira (23) em um acidente com um ônibus na Bulgária, no pior acidente rodoviário da história do país dos bálcãs.

O veículo levava turistas da Macedônia do Norte, que voltavam de uma viagem à Turquia, e colidiu com uma barreira de proteção lateral da rodovia. Ainda não se sabe se o ônibus pegou fogo antes ou depois da batida.

“O motorista morreu na hora, então ninguém conseguiu abrir as portas para permitir que os passageiros escapassem das chamas”, disse o chefe de polícia local.

“As pessoas foram reduzidas a cinzas”, afirmou o ministro do Interior búgaro, Boyko Rashkov. “A imagem é apavorante, apavorante. Nunca vi nada parecido”.

Sete pessoas conseguiram sair do ônibus em chamas, pulando pelas janelas, e foram levadas a um hospital de emergências da capital Sófia. Eles sofreram queimaduras e um teve uma perna quebrada, mas estão estáveis, segundo a equipe do hospital Pirogov.

“Os sobreviventes estão traumatizados, perderam parentes, os filhos”, disse Maya Arguirova, diretora do centro de tratamento de queimaduras que recebeu os feridos.

Entre as vítimas estão uma pessoa com cidadania da Sérvia e outra da Bélgica, segundo o primeiro-ministro da Macedônia do Norte, Zoran Zaev. Não está claro se eles estão entre os mortos ou feridos.

Zaev disse ter conversado com um dos sete sobreviventes, que ele relatou que os passageiros estavam dormindo quando foram acordados pelo som de uma explosão. Ele disse que as pessoas sentadas na parte de trás do ônibus conseguiram quebrar uma janela e pular.

Viagem à Turquia

O acidente aconteceu na rodovia Struma, perto da vila de Bosnek e a cerca de 45 km a oeste de Sófia, por volta das 2h (horário local, 21h de segunda-feira no Brasil).

O chefe do serviço de investigação búlgaro, Borislav Sarafov, disse que quatro ônibus de uma agência de viagens da Macedônia do Norte entraram na Bulgária na noite de segunda-feira (22) pela Turquia.

Segundo o ministro das Relações Exteriores da Macedônia do Norte, Bujar Osmani, o grupo voltava para Skopje, a capital do país, após uma viagem a Istambul.

A distância entre as duas cidades é de aproximadamente 800 km, e a viagem dura cerca de 9 horas. Ela pode ser feita por dois trajetos: passando pela Bulgária, onde ocorreu o acidente, ou pelo norte da Grécia.

‘Erro humano ou avaria’

O chefe do serviço de investigação búlgaro, Borislav Sarafov, diz trabalhar no momento com duas hipóteses: “Erro humano do motorista ou avaria técnica são as duas versões iniciais do acidente”.

O primeiro-ministro interino da Bulgária, Stefan Yanev, lamentou o maior acidente rodoviário da história do país e o chamou de “uma tragédia enorme”.

O último acidente rodoviário grave do país foi em agosto de 2018, quando um grupo de turistas búlgaros voltava de ônibus para Sófia, após uma visita a um mosteiro, e um acidente na chuva deixou 17 mortos.

Fonte: G1

print
Comentários