Nesse domingo (19) foi comemorado o Dia da Bandeira do Brasil. Essa comemoração passou a fazer parte da história do país após a Proclamação da República, no ano de 1889. Com o fim do período Imperial (1822-1889), a bandeira que representava o império foi substituída.

O hasteamento do Pavilhão Nacional foi realizado ao meio dia conforme preconiza a Lei nº 5.700, de 1º de setembro de 1971, em seu art. 15 § 2º, e contou com a participação da guarnição representativa composta por militares do 63º BPM, 3º Grupo de Polícia Militar Rodoviária, 3º Pelotão Polícia Militar de Meio Ambiente e do 5º Pelotão do Corpo de Bombeiro Militar, destacando assim, o respeito ao símbolo nacional e fortalecendo os pilares das instituições militares de Minas Gerais, em seus princípios da hierarquia e disciplina.

A substituição da bandeira imperial por uma bandeira republicana representa as mudanças que o Brasil passava naquele momento: mudanças na forma de governo e de governar, do regime imperial para uma república federativa. Além disso, a nova bandeira representava a simbologia que estava agregada ao regime republicano, como a ideia de um Estado-nação, o patriotismo e o surgimento do sentimento nacionalista.

A Bandeira Nacional, um dos principais símbolos do Brasil, reúne uma série de detalhes obrigatórios que devem ser obedecidos, de acordo a com a legislação. O tamanho, a precisão nas cores, a disposição das estrelas que representam os estados e da faixa central devem ser seguidos à risca, assim como a forma como ela é homenageada e guardada. O dia 19 de novembro foi instituído Dia da Bandeira em logo após a Proclamação da República. No ensino fundamental, são obrigatórias as aulas sobre os símbolos nacionais: a Bandeira Nacional, o Hino Nacional, as Armas Nacionais e o Selo Nacional.

 

(Foto: divulgação PM)

 

Fonte: Polícia Militar||

Imprimir

Comentários