Hoje foi divulgado que, em 2015, 58.383 pessoas foram vítimas de homicídio no Brasil. Ou seja, 160 pessoas por dia. Ou seja, sete pessoas por hora.

Comparado com o ano anterior, houve uma queda de 1,2%. É estatisticamente irrelevante para se contrapor ao fato de que continuamos a ser um país feroz.

A nossa ferocidade encontra livre vazão por falta de Estado. Temos Estado demais onde deveríamos ter menos e pouco Estado onde deveríamos ter mais. Caberia ao Estado prevenir, investigar e punir. No lugar disso, há leniência, inépcia e impunidade.

Até quando?

As receitas pontuais para conter a criminalidade são conhecidas, mas teimamos em ignorar a essencial: a reforma do Estado brasileiro.

É preciso diminuí-lo para termos menos Lulas e Renans. É preciso diminuí-lo para termos mais foco e eficiência. É preciso diminuí-lo para agigantá-lo.

Enquanto vivermos nesta prisão mental construída pelo nacional-populismo, os bandidos permanecerão livres e matando.

Imprimir

Comentários