Wesley Gomes da Silva, que era acusado de ser o responsável pela morte do radialista Jadir Guilhermino, em 2002, em Divinópolis, foi absolvido. A sentença foi proferida durante júri popular na manhã desta terça-feira (4).

O julgamento ocorreu 16 anos após o crime e foi presidido pelo juiz da 2ª Vara Criminal de Divinópolis, Mauro Riuji Yamane. Segundo o magistrado, o promotor Marco Antônio Costa, responsável pela acusação, pediu a absolvição do réu.

Procurado pelo portal G1, o promotor justificou o pedido devido à ausência de provas que comprovassem o envolvimento de Silva no crime.

Wesley foi segundo acusado de envolvimento a ser julgado. O outro réu, Wellington Carlos Gomes, foi condenado a oito anos de reclusão em regime fechado e a outros dois anos no regime semi-aberto pelos crimes de homicídio e ocultação de cadáver.

Segundo os autos do processo, Silva respondia por homicídio qualificado e ocultação de cadáver. Ele foi absolvido de ambas.

O crime

De acordo com os autos do processo, o radialista, que era filho da líder comunitária Iraci Adão, falecida em setembro deste ano, foi morto a pauladas no Bairro Grajaú, no dia 13 de junho de 2002.

Consta no processo que o corpo foi jogado em uma cisterna junto a uma quantidade de pó de cal para tentar acelerar o processo de decomposição.

 

 

Fonte: G1 ||

Imprimir

Comentários