O governador Aécio Neves anunciou nesta quinta feira (27) a liberação de linha de crédito de R$ 400 milhões para os municípios mineiros, por meio do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG). Os recursos deverão ser aplicados em obras de desenvolvimento urbano, saneamento básico e ambiental e modernização administrativa, através do programa Novo Somma. O financiamento foi aprovado pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), em Brasília, nesta quarta-feira (26).
De acordo com o governador Aécio Neves, tinha-se uma dificuldade grande para que esses recursos fossem liberados. ?Havia uma resolução do Conselho Monetário Nacional que impedia o BDMG de fazer esses financiamentos e, com essa autorização conquistada, estamos solicitando aos municípios mineiros que enviem, diretamente ao banco, seus projetos para que possamos imediatamente iniciar o processo de autorização desses financiamentos?, explicou o governador.
Para ter acesso à nova linha de crédito, as prefeituras devem ter capacidade de endividamento aprovada pelo Tesouro Nacional.
Impacto na economia
Aécio Neves acredita que esses recursos terão impacto importante na economia mineira, garantindo investimentos em áreas importantes para os municípios do Estado. Ele lembrou ainda que R$ 1,1 bilhão de financiamento está em processo final de negociação junto ao Banco Mundial, o que será possível devido à assinatura, também nessa quarta-feira (26), do Programa de Ajuste Fiscal, que autoriza a ampliação do limite do endividamento do Estado. Os recursos do Banco Mundial serão aplicados em projetos de infraestrutura, saúde, educação e segurança.
?A linha de crédito do BDMG significa mais R$ 400 milhões na economia mineira, mais empregos, mais renda, mas, principalmente, mais saúde, porque saneamento básico é o investimento mais vigoroso e mais importante para que possamos ter saúde de melhor qualidade, principalmente nas regiões mais pobres do Estado. Portanto, somados esses R$ 400 milhões aos R$ 1,1 bilhão que estaremos contratando com o Banco Mundial, serão R$ 1,5 bilhão injetados na economia mineira para melhorar a vida de cada um de nossos concidadãos?, declarou o governador.
O programa Novo Somma foi criado em 2001, a partir da extinção do Fundo Somma, que financiava obras de saneamento nos municípios mineiros.

print
Comentários