O senador Aécio Neves (PSDB) afirmou, ontem, que seu partido vai buscar o PMDB para formar alianças em Minas Gerais, incluindo Belo Horizonte. Apesar de ser um dos maiores opositores ao governo federal – do qual o PMDB é um dos principais aliados -, Aécio disse que alguns setores peemedebistas possuem uma relação histórica com o PSDB. Vamos, sim, buscar incorporar os setores do PMDB que queiram participar desse grande esforço transformador que vem ocorrendo em Minas, declarou o tucano.
A aproximação entre os dois partidos já havia sido adiantada por O TEMPO na edição da última terça-feira, quando o deputado federal Leonardo Quintão, presidente do diretório municipal do PMDB, afirmou que havia procurado o deputado estadual João Leite, presidente do PSDB em Belo Horizonte. A conversa foi confirmada por João Leite, que disse haver um interesse grande do PSDB nessa aproximação.
O flerte ganhou mais força como a saída da bancada peemedebista do bloco de oposição na Assembleia Legislativa de Minas, formalizada anteontem. Além de cobrar cargos no governo da presidente Dilma Rousseff, o PMDB reclama que o partido foi preterido pelo PT na composição de alianças para a sucessão à Prefeitura de Belo Horizonte. Com a tensão na relação com o PT, há um espaço grande de conversação, disse o presidente estadual tucano, deputado Marcus Pestana.
Contraponto
Na visão dos petistas, o namoro entre PSDB e PMDB é virtual. Para o presidente do PT em Minas, deputado federal Reginaldo Lopes, a declaração do senador Aécio Neves é um jogo de cena. O Aécio quer dividir o PMDB. Mas esse movimento de insatisfação existe só na bancada estadual do partido. O PMDB está fechado com Dilma e com o PT de Minas, avalia. O petista aposta na rivalidade entre o PSDB e o PMDB. O PSDB não vai apoiar (um candidato peemedebista) nunca, e nem vai romper a aliança com o Marcio (Lacerda). Tudo é um jogo de cena, alfinetou o dirigente petista.
A avaliação é compartilhada pelo líder petista na Câmara de Belo Horizonte, vereador João Bosco Rodrigues. Para ele, os tucanos estão usando o PMDB para pressionar o prefeito Marcio Lacerda (PSB). Eles (tucanos) estão dizendo para o Lacerda: se você namorar muito com o PT, nós podemos nos casar com o PMDB do lado de cá, afirmou.
Aliança
Ao mesmo tempo em que se aproxima do PMDB, o PSDB reforça a ideia de permanecer com o PSB de Lacerda, mesmo com a presença do PT na chapa, repetindo a aliança que elegeu o prefeito em 2008. Queremos continuar na base do prefeito, mesmo sem ter o vice. O vice é menos importante que um secretário de saúde, por exemplo. O que não aceitaremos é compor de maneira informal a aliança, destacou o tucano Marcus Pestana.

Imprimir
Comentários