Um momento em que um avião desce e se aproxima da pista para pousar, mas volta a subir em seguida para evitar colisão com outra aeronave, em Fernando de Noronha, assustou passageiros no domingo (17). Um vídeo mostra essa manobra de arremeter, que, segundo a Aeronáutica, “ocorreu dentro dos padrões de segurança das regras de tráfego aéreo”, sem risco aos envolvidos e foi classificada como normal.

O episódio ocorreu quando o voo 2700 da Azul, um Embraer 195, taxiava na pista logo depois de aterrissar; no mesmo momento, o voo 1862 da Gol, um Boeing 737-700, se aproximava para pousar. Esse “encontro” dos aviões não é comum: o voo da Azul normalmente pousa por volta de 14h05 no aeroporto de Fernando de Noronha, enquanto o da Gol chega às 16h25, mais de duas horas depois. Mas o voo da Azul atrasou.

Em nota, a Azul afirmou que “a arremetida é um procedimento previsto nas operações de pouso”. A Gol informou que o avião “precisou descontinuar a aproximação em virtude da indisponibilidade da pista por ocupação de outra aeronave naquele momento”.

A companhia disse, ainda, que “o comandante tinha contato visual com a aeronave que ainda taxiava pela pista” e que, após a liberação, o pouso foi feito “com total segurança”.

O presidente do Conselho Distrital de Fernando de Noronha, Milton Luna, estava a bordo da aeronave da Azul e conta que se assustou ao perceber o que acontecia. “O avião tinha acabado de pousar, eu estava na janela, quando vi uma nuvem preta passando por cima. Era o avião da Gol, que graças a Deus arremeteu”, diz Luna. Em Noronha, o Conselho Distrital equivale a uma Câmara dos Vereadores, mas sem poder para legislar.

O presidente do conselho afirma que vai instaurar investigação sobre o episódio. A apuração de eventual incidente aéreo cabe à Aeronáutica, mas o órgão tratou o ocorrido como “normal” e “sem risco” –indício de que não haverá abertura de investigação posterior.

O aeroporto de Fernando de Noronha não tem torre de controle. Os aviões coordenam entre si as operações de pouso e de decolagem, via rádio, segundo a Aeronáutica.

A Dix, empresa responsável por administrar o aeroporto de Fernando de Noronha, informou que não tem responsabilidade sobre o controle das aeronaves.

 Confira a íntegra da nota da Aeronáutica:

“A arremetida registrada no aeródromo de Fernando de Noronha (PE), no domingo (17/02), ocorreu dentro dos padrões de segurança das regras de tráfego aéreo. A situação foi classificada como normal.

Importante esclarecer que o serviço de tráfego aéreo prestado no local é o de Serviço de Informação de voo. Nesta modalidade, o operador de estação aeronáutica fornece às aeronaves todas as informações necessárias à operação segura, a fim de que o piloto decida, em qualquer fase do voo, qual o procedimento será utilizado e inclusive em qual pista irá realizar a decolagem ou o pouso.

As aeronaves estavam em coordenação via rádio e não houve risco nenhum aos envolvidos no caso”.

Imprimir

Fonte:

G1