A aeronave que caiu na psicina de um resort às margens do Lago de Furnas, em Formiga, e deixou três pessoas com ferimentos leves na tarde do sábado (20), está com o Certificado de Verificação de Aeronavegabilidade (CVA) vencido desde agosto de 2020, segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Contudo, a Anac frisou que o monomotor tinha uma autorização especial de voo, emitida no dia 26 de janeiro deste ano e válida até a última segunda-feira (22).

Esta autorização, conforme a Anac, tem o propósito de realizar translado da aeronave para uma base de manutenção onde reparos, modificações ou serviços de manutenção que poderiam ser executados ou para uma base onde a aeronave seria armazenada.

Sobre o Registro Aeronáutico Brasileiro (RAB), a agência informou que a aeronave não tinha autorização para operar como táxi-aéreo, mas não significa, necessariamente, que a aeronave estava realizando vôos com fins lucrativos, segundo a Anac.

Investigações

De acordo com a Força Aérea Brasileira (FAB), investigadores do Terceiro Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa III), órgão regional do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), estiveram no local do acidente para realizar a coleta de dados da ocorrência, ainda no sábado (20).

Conforme a Aeronáutica, o objetivo das investigações realizadas pelo Cenipa é prevenir que novos acidentes com características semelhantes ocorram. Ainda segundo a FAB, a conclusão das investigações terá o menor prazo possível, dependendo da complexidade da ocorrência e, ainda, da necessidade de descobrir todos os fatores contribuintes.

Segundo informações do portal G1, a Polícia Civil informou que uma equipe da perícia técnica foi até o local, onde foram realizados levantamentos como trabalho de apoio para a investigar a causa do acidente com o monomotor. Caso a investigação do Cenipa aponte algum indício criminal, será instaurado inquérito policial para a devida apuração do crime.

O G1 entrou em contato por telefone com o FurnasPark Resort, mas a empresa não deu detalhes da situação. No site da empresa foi publicada uma nota de esclarecimento, em que cita as investigações pelo Cenipa e pela Polícia Civil.

Confira a íntegra da nota do resort:

“O FURNASPARK RESORT HOTEL informa a todos os hóspedes e à população que, na tarde deste sábado (dia 20/02/2021), uma aeronave de pequeno porte sofreu uma pane após a decolagem da nossa pista de pouso.

Esclarecemos ainda que a aeronave não pertence ao resort, nem a algum de seus hóspedes. Ao que foi apurado, a aeronave decolou da cidade de Pará de Minas/MG, com destino final para o estado de São Paulo e, nesta tarde, fez um pouso em nossa pista, vindo a decolar momentos após. De acordo com informações preliminares, a aeronave sofreu uma pane após a decolagem. O piloto tentou retornar à pista de pouso do FURNASPARK RESORT HOTEL, não obtendo sucesso.

A tripulação era composta pelo piloto e mais duas pessoas, que imediatamente foram socorridos e encaminhados para a Santa Casa de Formiga/MG, sem, aparentemente, ferimentos graves. Nenhum hóspede e ou colaborador foi atingido.

As investigações sobre as causas do acidente estão sendo conduzidas pela Polícia Civil e CENIPA, órgãos responsáveis e pelos peritos técnicos competentes, de forma clara e conclusiva.

O FURNASPARK RESORT HOTEL lamenta o ocorrido, se solidariza com as vítimas do acidente e colabora com as investigações que estão em curso.

Agradecemos a compreensão de nossos hóspedes e pedimos desculpas pelo transtorno.”

O acidente

Um avião monomotor caiu na piscina do resort às margens do Lago de Furnas, em Formiga, e deixou três pessoas com ferimentos leves na tarde de sábado (20).

De acordo com os bombeiros, as vítimas foram o piloto de 43 anos e dois passageiros: uma mulher de 35 anos, e uma pessoa do sexo masculino cuja idade não foi divulgada.

O avião monomotor sobrevoava o Lago de Furnas quando, segundo informações do piloto, registrou uma falha no motor e caiu.

As vítimas tiveram ferimentos leves. Contudo, os militares disseram que o piloto chegou a ficar desacordado por alguns instantes, mas recobrou a consciência. Nenhum hóspede ou funcionário do estabelecimento se feriu.

Falha mecânica

O piloto contou aos militares que atenderam a ocorrência que saiu de Pará de Minas e fez uma escala no aeroporto do FurnasPark Resort para embarcar os dois passageiros que iriam para o município de Bragança Paulista, em São Paulo.

Ao decolar com a aeronave da pista do resort, ele sentiu que o monomotor perdeu sustentação e acabou caindo na piscina do hotel.

Resgate

O resgate às vítimas foi rápido e realizado, segundo os bombeiros, por hóspedes e funcionários do empreendimento. Quando os militares chegaram ao resort os três já estavam do lado de fora da piscina.

O piloto apresentava escoriações na face e ferimentos na perna direita. A mulher também teve escoriações na face. A terceira vítima apresentava suspeita de fratura no pé direito.

Duas das vítimas foram conduzidas pelo Corpo de Bombeiros até o Pronto Socorro de Formiga. A terceira vítima foi socorrida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e encaminhada para a Santa Casa do município; ela estava consciente, com possível luxação no tornozelo.

Fonte: G1

print
Comentários