O fim da redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) pode fazer agosto registrar um recorde histórico na venda de automóveis e comerciais leves. O mês deve fechar com vendas na casa de 400 mil unidades, de acordo com projeções do setor. Até anteontem, a média de vendas foi de 16.347 unidades. Do dia 1º ao dia 22 foram emplacados 261.554 automóveis e comerciais leves e, mantendo-se a mesma média, o fim do mês registraria pouco mais de 392 mil unidades vendidas.
Como a tendências é de corrida às concessionárias nos próximos dias, os números de vendas diárias devem subir. O fluxo já tem aumentado muito e vai crescendo a cada dia. O consumidor está correndo para tentar achar um carro, diz o gerente de veículos novos da Roma, Mark Crepaldi. Com os estoques em baixa, ele diz que está difícil para o comprador encontrar o que deseja. Percebemos que o cliente está rodando as concessionárias em busca do carro que deseja, mas acaba levando o que tem, afirma.
Foi o que aconteceu com o aposentado João Silveira, que comprou um Novo Uno no início de julho. Ele pretendia levar um Palio, mas não havia o modelo em estoque de nenhuma das concessionárias que procurou. Disseram que só ia chegar em setembro, depois do fim do desconto do IPI, conta. Ele trocou de modelo e não se arrependeu. O desconto foi bom e estou gostando do carro, afirma.
Mark Crepaldi diz que na semana que vem o risco é de que o consumidor não consiga encontrar nem mesmo um modelo semelhante ao que procura. Hoje, ele quer um prata, mas leva um preto que é o que tem no estoque. Nos próximos dias, corre o risco de não conseguir nem isso. As montadoras estão com os pátios vazios, diz.
Em concessionárias de todas as marcas já é difícil encontrar principalmente os veículos de entrada e os vendedores se desdobram para conseguir atender encontrar um modelo disponível que se encaixe no desejo do cliente.
De 1º de janeiro a 22 de agosto foram vendidos no Brasil 2,245 milhões de automóveis e comerciais leves. A média de vendas diárias de agosto já supera em 5% os negócios registrados em julho, quando foram emplacadas, em média, 15.580 unidades por dia útil. Comparando com as vendas de agosto do ano passado (13.394 unidades por dia, em média), a alta é de 22%.
A Fiat lidera o mercado tanto nas vendas do mês, quanto no acumulado do ano. Em agosto, a montadora italiana ficou com 24,4% das vendas registradas até anteontem. Considerando as vendas desde janeiro, a fatia é de 22,7%. Nas duas comparações, a Volkswagen aparece em segundo lugar, com 21,9% das vendas do mês e 21% de participação no acumulado do ano.
O carro mais vendido em agosto é o Gol, da Volkswagen, com 9,7% de participação. Em segundo no ranking aparece no Uno. O modelo da Fiat tem 9,1% de participação de mercado.

Imprimir
Comentários