Estudo realizado por uma universidade norte-americana aponta que lavar as mãos com álcool gel, uma ação comum durante o surto de gripe H1N1 em 2009, não aumenta a proteção contra o vírus.
Apesar de especialistas serem unânimes durante a campanha para prevenção do contágio da doença, afirmando que o álcool em gel era extremamente eficiente para evitar o contágio, o estudo derrubou essa tese.
Os resultados da pesquisa, que foi financiada por uma empresa de produtos de higiene, foram apresentados em uma conferência médica nos Estados Unidos.
Os autores da pesquisa concluíram que a transmissão pelas mãos é menos importante para a propagação do vírus do que se acreditava.
O estudo mostrou que 12 de cada 100 participantes do grupo que lavou regularmente as mãos com álcool gel foram contaminados com o vírus da gripe H1N1, enquanto 15 de cada 100 membros do grupo que não usou nenhum produto na mão contraíram a doença.

Imprimir
Comentários