Principalmente durante o inverno, muita gente, quando tem um resfriado ou dores de cabeça, recorre à velha caixa de remédios, buscando com isso um alívio. Este hábito, tão corriqueiro, pode trazer vários problemas. Afinal, o uso sem prescrição médica é um dos grandes fatores para a ocorrência de intoxicação por medicamentos. Os números registrados no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) reforçam a necessidade de alerta. Em Minas, somente neste ano, até 22 de maio, já foram notificados 896 casos de intoxicação relacionados a medicamentos, com 679 confirmações. Em 2008, foram 1.268 casos confirmados e, em 2007, 851 casos.

De acordo com a farmacêutica do Núcleo de Assessoria Técnica da Secretaria de Estado de Saúde (NAT/SES), Priscila Oliveira Fagundes, a falta de informação é um fator que ajuda a explicar os números. ?As pessoas devem procurar o médico e também o farmacêutico no momento da dispensação dos medicamentos para tirar as dúvidas?, afirma.

Remédios para o tratamento de ansiedade, antidepressivos, analgésicos e antiinflamatórios são os responsáveis pela maioria das causas de intoxicação, que tem como efeitos convulsão, sonolência, vômitos, danos hepáticos, irritações na pele e até mesmo a morte. ?As pessoas devem desconfiar de efeitos rápidos. Medicamentos não fazem milagres?, informa.

Até mesmo o uso de plantas, consagradas pelo uso popular, merecem atenção. Os fitoterápicos, como chás, podem conter substâncias que ingeridas em excesso podem trazer problemas. ?Temos o confrei, usado para combater dores gastro-intestinais. O uso indiscriminado pode provocar problemas no fígado. A combinação de medicamentos com plantas medicinais também requer cuidado. Por exemplo, a varfarina, um anticoagulante, combinada com boldo e camomila pode acentuar o sangramento?, revela Priscila.

O uso simultâneo de álcool e medicamentos deve ser evitado, uma vez que ele pode inibir ou aumentar a ação de alguma substância. ?Se combinado com antidepressivos, pode haver aumento do efeito sedativo. De qualquer forma o uso conjunto é grave e pode tanto prejudicar o tratamento como levar à intoxicação?.

A utilização de uma dose maior que a segura de um medicamento pode levar o paciente a uma intoxicação, ?Nem sempre a superdosagem causa intoxicação, tudo depende do organismo do paciente. Da mesma maneira que uma pequena dosagem de um medicamento, bastando ela não ser segura, pode também causar intoxicação, dependendo da sua composição?, aponta Priscila

print
Comentários