A articulação do PSDB para construir uma candidatura anti-Renan Calheiros com senadores de diferentes partidos irritou aliados do ex-presidente do Senado.

O motivo: o discurso dos tucanos de que não apoiarão Renan como candidato por conta de seus problemas com a Justiça.

A senadora Katia Abreu (PDT-TO) confirmou a irritação. “A cúpula do PSDB, que tem rejeitado com veemência Renan, deveria se lembrar que dentro do seu próprio partido tem muitos investigados e até presos. Não precisa resolver antes os seus problemas? Isso não quer dizer que investigado é culpado. Vamos dar oportunidade a todos de defesa, inclusive a Flavio Bolsonaro”, questiona a senadora.

Katia é eleitora de Renan e, na campanha pelo Palácio do Planalto, foi vice de Ciro Gomes (PDT), que fez oposição a Jair Bolsonaro.

O PSDB se reuniu na manhã desta quinta com outros senadores que querem uma candidatura para disputar contra Renan. Nesta tarde, o MDB vai definir quem será o candidato do partido. Simone Tebet (MDB-MS) disputa a indicação com Renan.

No entanto, a cúpula do partido já entrou em campo para demover Simone, numa tentativa de chegar ao plenário unificada.

O senador Antonio Anastasia (PSDB-MG) disse que o PSDB se reuniu na tarde desta quinta-feira (31) e definiu que Tasso Jereissati (PSDB-CE) será candidato à presidência do Senado.

O senador afirmou que a votação desta sexta (1º) será “longa” e deve entrar pela madrugada. “Muitas discussões, muita gente nova. Vai longe”, disse Anastasia.

A bancada do PSDB tem defendido voto aberto na eleição da Mesa Diretora nesta sexta-feira, o que deve render um dos debates extensos no plenário.

 

Fonte: G1||

Imprimir

Comentários