As refeições com carne crua, cada vez mais populares entre donos de cães e gatos, podem estar cheias de bactérias resistentes a vários medicamentos, representando um sério risco para animais e seres humanos, advertiram cientistas.

Três quartos das amostras coletadas e testadas na Suíça excederam os limites recomendados para bactérias conhecidas como causadoras de infecções gastrointestinais. Mais da metade das amostras continha agentes infecciosos resistentes às medicações projetadas para matá-los, afirmaram os pesquisadores em um estudo publicado na revista científica Royal Society Open Science.

“É realmente preocupante que tenhamos encontrado enterobactérias produtoras de beta-lactamase de espectro ampliado (ESBL, na sigla em inglês) em mais de 60% das amostras”, declarou Magdalena Nuesch-Inderbinen, principal autora do estudo e pesquisadora da Universidade de Zurique, referindo-se a uma enzima que torna ineficaz alguns antibióticos.

“Elas incluem vários tipos de E. coli, bactéria presente nas fezes que pode causar infecções tanto em humanos, quanto em animais”, acrescentou.

Alimentos a base de carne crua para cachorros de estimação ficaram populares nos últimos anos — Foto: Unsplash

As vendas de comida crua para animais domésticos – também conhecida como “comida crua biologicamente apropriada” ou BARF, na sigla em inglês – dispararam nos últimos anos, especialmente a destinada a cães. Atribui-se a esse tipo de dieta benefícios como aumentar a vitalidade canina, mesmo com poucos estudos que sustentem estas alegações.

De fato, associações de veterinários nos Estados Unidos e no Canadá fizeram soar o alerta sobre a comida crua para animais de estimação, com informes mostrando que é uma fonte de infecções por Salmonella e yorsiniose (gastroenterite causada por alimentos) em cães.

E isto também é um problema para os seres humanos.

“Comidas à base de carne crua podem estar contaminadas com bactérias que seriam resistentes a múltiplos antibióticos, incluindo os categorizados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como criticamente importantes para a medicina humana”, declarou Nuesch-Inderbinen à AFP.

Alimentação a base de carne crua para cães e gatos pode ser nociva, diz estudo — Foto: Unsplash


Cautela para donos de pets

“Há evidências crescentes de que estes patógenos representam um risco de doenças infecciosas para os humanos, não só durante o manuseio da comida, mas também de contaminação de superfícies da casa e através do contato com os cães e suas fezes”, acrescentou.

Estima-se que haja 140 milhões de cães e gatos na União Europeia e um número similar na América do Norte e no Brasil.

De forma genérica, a resistência a antibióticos se tornou uma importante crise de saúde em todo o mundo.

“A situação com as bactérias resistentes a múltiplos medicamentos saiu do controle nos últimos anos”, completou o co-autor do estudo Roger Stephan, professor do Instituto de Segurança Alimentar e Higiene da Universidade de Zurique.

 

Fonte: France Presse via G1 ||
Imprimir
Comentários