Depois de o governo de Minas acenar com a possibilidade de adiar o pagamento do 13º para o ano que vem, a Assembleia Legislativa decidiu acelerar a tramitação do projeto de lei que antecipa R$ 4,5 bilhões em créditos do nióbio.

Na manhã desta quarta-feira, os deputados estaduais fecharam acordo para votar o texto em primeiro turno já na quarta-feira da semana que vem, dia 20. E a aprovação final, que seria até o último dia dos trabalhos legislativos, agora está prevista para no máximo na primeira semana de dezembro.

Parar adequar a agenda à necessidade do Executivo, os parlamentares decidiram adiar a audiência na comissão de Minas e Energia, inicialmente marcada para o dia 20, para depois da votação do texto em primeiro turno.

Antes disso, a comissão deve votar o texto até segunda-feira, dia 18. Ja a comissão de fiscalização financeira e orçamentária irá votar o parecer sobre o texto no dia 19.

Acordo

“Essa conversa já vem de alguns dias e foi finalizada pela manhã”, afirmou o líder do bloco da base, deputado Gustavo Valadares (PSDB).

Segundo ele, a antecipação da audiência dependia da agenda de técnicas do Tribunal de Contas do Estado.

Valadares negou que a antecipação tenha sido motivada por pressão do governo. “Não há prazo dado pelo governador. O governo tem a necessidade de que se aprove o quanto antes melhor para concretizar a operação, mas não pôs em nenhum momento uma faca na Assembleia”, disse.

Segundo o líder da base, a intenção dos deputados é votar o projeto no segundo turno até o fim de novembro ou início de dezembro. “Dentro do que a Assembleia pode fazer na construção de um consenso, acho que chegamos a um bom termo. Não passa da primeira semana de dezembro”, garantiu Valadares.

 

Fonte: Matéria do Estado de Minas||https://www.em.com.br/app/noticia/politica/2019/11/13/interna_politica,1100803/almg-antecipa-votacao-de-projeto-que-garante-13-dos-servidores-para-a.shtml
Imprimir
Comentários