Lorene Pedrosa*

Alunos do ensino fundamental da Escola Municipal José Antônio do Couto, localizada na comunidade de Albertos, zona rural de Formiga, estão há mais de dois meses sem assistir aulas de Ciências.

A professora contratada no início de 2018 para estar à frente dessa disciplina pediu rescisão de contrato há quase três meses e, desde então, as aulas de ciências estão suspensas.

Pais e alunos estão preocupados com a situação. O terceiro bimestre do ano letivo já está próximo do encerramento e todos os estudantes permanecem sem notas nas cadernetas na citada disciplina.

O temor dos estudantes é que a falta das aulas impeça que eles concluam o ano letivo de 2018, afetando as aulas de 2019. “Temos vereador que se diz defensor das comunidades rurais e um prefeito e um secretário de Educação, que, em todos os eventos, reforçam que dão muita importância para a zona rural da cidade. Se isso é verdade, é preciso que mostrem, na prática, solucionando esse problema absurdo que poderá dificultar a nossa vida escolar”, comentou um aluno de 13 anos, que cursa o 7º ano.

“A gente sabe que existem trâmites para a contratação de um novo profissional, mas nada justifica dois meses e meio sem aulas de Ciências em uma escola”, criticou uma mãe de um aluno que reclama ainda, que sempre que professores daquela unidade escolar são afastados por determinação médica, não são colocados professores substitutos, fazendo com que os alunos percam aula.

De acordo com a administração municipal, tão logo foi requerido o desligamento da então professora de Ciências, a Secretaria Municipal de Educação e Esportes solicitou à Secretaria Municipal de Administração e Gestão de Pessoas a contratação de um novo profissional, seguindo a escala do processo seletivo simplificado vigente (edital 02/2017).

Autorizado o contrato, o postulante à vaga foi encaminhado ao médico do trabalho para a emissão do atestado admissional. Porém, como é de praxe para o cargo de professor, o médico solicitou alguns exames complementares que só puderam ser marcados na última semana, o que segundo a administração, justificaria o atraso para a retomada das aulas.

Ainda de acordo com informações do secretário de Educação e Esportes, Cid Corrêa, “todos os procedimentos médicos já foram concluídos e o profissional pôde apresentar todos os documentos para a realização da sua contratação e entrará em exercício já na próxima semana, após o recesso”.

Imprimir

Comentários