Os acadêmicos do Unifor-MG encontraram um jeito diferente para o trote solidário dos calouros que ingressaram este ano na instituição e decidiram fazer uma campanha de doação de sangue.

Cerca de 40 alunos de diversos cursos foram ao Hemonúcleo Regional de Divinópolis, da Fundação Hemominas, viajaram 80 quilômetros para fazerem uma boa ação.

A campanha foi idealizada pelos acadêmicos do curso de Marketing que convidaram os calouros dos 22 cursos oferecidos pelo Unifor-MG para participarem do trote solidário. O objetivo da ação foi transformar os trotes violentos em ações que tragam benefícios para os alunos e para a sociedade.

A data escolhida pelos alunos para a doação de sangue também foi proposital. No mês de junho, acontece em todo o país a campanha Junho Vermelho que pretende incentivar as doações no inverno, pois costumam cair até 30%. Segundo a responsável pela captação de doadores de sangue no Hemonúcleo de Divinópolis, Shirley Alves de Sousa Silva, a ação é muito importante para a instituição.

“É muito bacana a participação de universitários em ações que incentivam a doação de sangue. Em junho, temos o Dia Mundial do Doador de Sangue e é importante receber doações de pessoas de outras cidades, esperamos que ações assim continuem” ressaltou.

O calouro Caio Maia Leonel, de 19 anos, participou do trote solidário e ressaltou a chance de ajudar a quem precisa. “Estou no primeiro semestre do curso de Direito e nunca tinha doado sangue. Me senti muito feliz pela oportunidade de salvar vidas de pessoas que nem conheço. É uma ação que faz bem para o próximo e também faz bem para mim. Me sinto com o coração leve”.

A ação mobilizou não só os calouros, mas também alunos veteranos. “Eu acho importante doar sangue e, com essa boa ação, eu vou ajudar a salvar a vida de muitas pessoas. Já que o Unifor-MG disponibilizou esse projeto eu me interessei em participar”, comentou o aluno Michel Luís César Paiva e Silva, do 5º período do curso de Ciência da Computação.

A aluna Alexandra Rezende Silva, do 5º período do curso de Marketing explicou que a ideia surgiu como um trabalho da disciplina de Marketing Social e Responsabilidade Social. “Nós quisemos conscientizar os alunos sobre a importância da doação. Passamos em todos os primeiros períodos do UNIFOR-MG e falamos sobre a doação e também queríamos tirar a impressão ruim do trote, levando para um lado solidário”, salientou.

Ainda segundo a acadêmica, ao longo da campanha de captação de doadores também foram feitas pesquisas sobre o assunto e os alunos se mobilizaram ainda mais ao descobrirem que ao doarem de 410 a 450 ml de sangue podem salvar até três vidas.

Como ser um doador

Para doador sangue, é necessário ter entre 18 e 67 anos de idade, pesar mais de 55 quilos e estar bem alimentado. Além disso, é preciso responder a um questionário e passar por uma triagem clínica.

Algumas doenças impedem a doação de sangue, como as cardíacas, renais, pulmonares, hepáticas e câncer. Não pode doar quem teve hepatite após os 11 anos de idade. Também há restrições para pessoas que compartilham seringas, usuários de drogas e portadores do HIV.

Em algumas situações, deve-se respeitar um intervalo de tempo para fazer a doação. Por exemplo, quem fez tatuagem ou maquiagem definitiva precisa aguardar de seis a 12 meses. No caso de cirurgias, o tempo varia de três meses a um ano. Quem teve dengue, até seis meses após a cura, e gripe, sete dias.

O doador não pode fumar uma hora antes da coleta, não ingerir bebida alcoólica por pelo menos 12 horas e evitar alimentos gordurosos. No dia da doação, durante a triagem, serão feitos vários exames, como a tipagem sanguínea, sífilis, chagas e hepatites B e C.

Os critérios servem para garantir a segurança e a qualidade do sangue que será repassado aos pacientes. As restrições são estabelecidas por uma lei federal.

 

O Hemonúcleo Regional de Divinópolis está localizado na Rua José Gabriel Medeff, 221, no Bairro Padre Libério, em frente ao Hospital Santa Mônica. O telefone de contato é o (37) 3216-6500.

Unifor-MG

print
Comentários