Todas as sete Unidades de Suporte Avançado (USA) do Samu Oeste já contam com aparelhos de ultrassom portáteis. Os equipamentos foram adquiridos com recursos do CIS-URG Oeste com o intuito de agregar tecnologia no atendimento pré-hospitalar.

Cada unidade recebeu dois tipos, um é o convexo que tem maior profundidade e é utilizado em urgências obstétricas, exames abdominais completos, entre outros. Já o aparelho linear é indicado para punções, tireoide, músculos entre outros exames.

A principal facilidade do equipamento é que por ser compacto os exames podem ser feitos sem a necessidade de ser em ambiente hospitalar. A bateria possui duração de até três horas em uso constante e o dispositivo possui conexão sem fio própria, não precisa de rede wifi e funciona com o sistema operacional iOS em tablets de 10 polegadas.

Foto: Samu/Divulgação

Devido ao alto grau de investimento e a sensibilidade dos aparelhos, eles só foram disponibilizados para as USAs após a realização de treinamentos intensivos com os médicos do Samu, em agosto e setembro.

Para o cirurgião cardiovascular e médico do Samu, Rogério Barbieri Sichieri, a chegada desses aparelhos agiliza atendimentos e propicia eficiência em diagnósticos. “O exame pode ser feito em qualquer lugar e o ultrassom vem trazer essa rapidez pra nós e certeza no diagnóstico. Com isso a gente pode ser mais invasivo se necessário e mais rápido na conduta, podendo salvar vidas de forma mais efetiva”, afirma.

Já para Marco Aurélio Lobão, diretor técnico do Samu, a aquisição desses aparelhos é um diferencial do Samu Oeste, pois poucos serviços de pré-hospitalar têm esse equipamento que muito colabora com os atendimentos. “Em várias situações, a gente precisa definir se a condição daquele paciente que se encontra, por exemplo, com suspeita de hemorragia interna, se ela está acontecendo e possibilita que a gente encaminhe este paciente para o local mais adequado. É um princípio do Samu não apenas transportar para o lugar mais próximo, mas que seja o lugar mais próximo com os recursos adequados”, explica.

 

 

Fonte: Assessoria Samu ||

Imprimir

Comentários