A Agência Nacional de Água (ANA) aprovou nesta terça-feira (23) uma resolução que reduz em 100 metros cúbicos a vazão na hidrelétrica de Furnas. A medida é tida como uma das opções para recuperar o Lago de Furnas ao fazer com que atinja a cota mínima de 762 metros acima do nível do mar.

A resolução passa a vigorar quando for publicada no Diário Oficial da União (DOU). Ela será válida de 1º de dezembro de 2021 a 30 de abril de 2022. “Estamos nos sentindo aliviados”, celebrou o presidente da Associação dos Municípios do Lago de Furnas (Alago), Djalma Carvalho, prefeito de Cristais, cidade do Sul de Minas Gerais.

“Estamos restringindo a vazão para manter no lago a água que chega. Não conseguimos controlar o que chega, mas conseguimos controlar o que sai”, afirma Vitor Saback, diretor da ANA, que espera que a decisão melhore a situação desse reservatório.
A vazão em Furnas passará a ser de 300 m³/s com a decisão. A reunião da ANA desta terça tratou ainda da redução da vazão da Usina Hidrelétrica Mascarenhas de Moraes, entre as cidades de Ibiraci e Delfinópolis, também do Sul do estado mineiro.

Fonte: Estado de Minas

print
Comentários