A humilhante goleada sofrida para o Vasco, por 6 a 1, nesta quinta-feira, no Rio de Janeiro, pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro, foi a última do técnico Alexandre Gallo à frente do comando técnico do Atlético. Logo após a partida, a diretoria alvinegra confirmou a demissão do treinador, ainda nos vestiários do estádio São Januário.
O Clube Atlético Mineiro não pode sofrer uma derrota humilhante dessa. Acho que foi um dia para ser apagado da memória de todo atleticano, um dia ridículo. Futebol tem que ser analisado muito profissionalmente e nesse momento o time vem oscilando muito, faz uma partida muito boa e depois uma partida ridícula como foi a de hoje (quinta-feira). A gente entendeu que é o momento de uma não continuidade do trabalho do Gallo. Ele, infelizmente, não é mais treinador do Atlético, disse o diretor de futebol do clube, Alexandre Faria.
Para a partida contra o Sport, no próximo domingo, o Galo será comandado pelo auxiliar técnico Marcelo Oliveira. O Marcelo Oliveira é um auxiliar permanente da comissão técnica do Atlético, conhece bastante esse elenco, afirmou Faria, que espera também uma resposta por parte dos jogadores. Os jogadores têm que trabalhar, tem que ter cada vez mais vergonha na cara, porque o Atlético não pode sofrer uma derrota ridícula como foi essa.
Alexandre Gallo comandou o Atlético em 14 partidas. Foram quatro vitórias, quatro empates e seis derrotas, o que representa um aproveitamento de apenas 38% dos pontos disputados.
Apesar do péssimo desempenho de Gallo, Alexandre Faria lamentou ter de demiti-lo. Ele é um grande profissional, que tem identidade muito grande com o Atlético, foi capitão da equipe durante muito tempo, estava trabalhando, tentando fazer o melhor, é um cara extremamente trabalhador, tem uma comissão técnica também muito trabalhadora, mas infelizmente o resultado não vem acontecendo. A gente fica triste, mas isso é uma coisa que acontece no futebol, finalizou o dirigente.

print
Comentários