Nessa sexta-feira (26), o secretário da Receita Federal, auditor-fiscal Jorge Rachid, apresentou os resultados da Instituição na área aduaneira em 2017. No período, foram apreendidos R$ 2,3 bilhões em mercadorias nas ações de combate ao contrabando, ao descaminho e à pirataria, resultado 9,46% maior que o alcançado em 2016, quando as apreensões somaram R$ 2,1 bilhões.

As apreensões de cigarros cresceram 11,16%. As de drogas, 122,4%. Só de maconha, foram mais de 28 toneladas, contra apenas 5 toneladas em 2016.

Os números foram anunciados durante a cerimônia de celebração do Dia Internacional das Aduanas, realizada em Brasília. O secretário destacou que “esses resultados foram produzidos a partir de muita competência e esforço dos profissionais da Receita Federal, que alcançou bons resultados mesmo sem aumento do quadro de pessoal”.

Rachid mostrou também a evolução dos indicadores de agilidade e fluidez na atuação da Receita Federal nas operações de comércio exterior. Em 2017, na importação, o Grau de Fluidez, indicador que considera o percentual de declarações de importação desembaraçadas em menos de 24h alcançou 92,97%. Na exportação, considerando declarações desembaraçadas em menos de 4h, o indicador alcançou 96,74%

Segundo Rachid, “a constante evolução na facilitação contribui para o fortalecimento do comércio exterior e para a melhoria do ambiente de negócio no País”.

(Foto: divulgação Polícia Rodoviária Federal)

Imprimir

Fonte:

O Tempo Online