A partir deste ano, os clássicos em Minas Gerais estarão restritos quase que a uma só torcida no Mineirão. Em reunião na tarde da última quinta-feira (25), o Ministério Público Estadual oficializou, por meio de termo de ajustamento de conduta (TAC), assinado por representantes de Atlético e Cruzeiro, a redução da carga de ingressos aos torcedores do time visitante para 10% do total.
A medida já vale para o primeiro clássico entre as equipes pelo Campeonato Brasileiro, marcado para o dia 12 de julho. Como o mando de campo será do time celeste, a torcida alvinegra terá no máximo 10% do total da carga de ingressos para comparecer ao estádio. Os 90% restantes ficarão com os cruzeirenses.
O mesmo valerá para o segundo clássico entre os rivais pelo Brasileiro, em outubro, já pelo segundo turno da competição. Como o Galo terá o mando de campo a favor, a torcida alvinegra poderá adquirir os 90% do total da carga, enquanto o restante ficará com os cruzeirenses.
A reunião de ontem, na sede da Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor, teve a presença dos presidentes de Atlético e Cruzeiro, Alexandre Kalil e Zezé Perrela, respectivamente. Pelo MP participou o promotor José Antônio Baêta, enquanto que a Federação Mineira de Futebol esteve representada pelo presidente Paulo Schettino.
O regulamento geral das competições adotado pela Confederação Brasileira de Futebol permite a prática de ?torcida majoritária? nos clássicos pelo país. Pelo artigo 79, o clube visitante terá direito de adquirir a quantidade máxima de ingressos correspondente a até 10% da capacidade do estádio.

print
Comentários