source
rafael miguel e assassino arrow-options
Foto: Reprodução/Internet

Paulo atirou 13 vezes contra as vítimas na frente da casa em que morava com a família, em São Paulo

Após cinco meses de investigação, a polícia de São Paulo já verificou quase 300 endereços em dez estados do Brasil e em dois países da América do Sul sobre os possíveis paradeiros do assassino de Rafael Miguel e dos pais dele.

A investigação checou mais de 280 denúncias sobre possível paradeiro de Paulo Cupertino , que fugiu ao matar a tiros namorado e sogros da filha em SP.

Todos os endereços foram verificados, inclusive na Argentina e no Paraguai. Até a publicação desta reportagem Paulo Cupertino Matias não havia sido encontrado ou preso pelas autoridades.

O empresário de 48 anos é procurado desde que matou a tiros o ator de 22 anos e o casal João Alcisio Miguel, de 52, e Miriam Selma Miguel, 50, no último dia 9 de junho na Zona Sul da capital.

Segundo a investigação, ele matou as vítimas porque não aceitava o romance da filha Isabela Tibcherani Matias, 18, com Rafael. Além da jovem, a mãe dela, Vanessa Tibcherani de Camargo, também presenciou o crime cometido na frente da casa onde moravam.

O empresário executou as vítimas atirando 13 vezes. Elas estavam desarmadas e não tiveram tempo de reagir.

O total de denúncias sobre o assassino do ator e da família dele, quase 220 delas chegaram por telefonemas e informações feitas diretamente ao 98º Distrito Policial (DP), Jardim Miriam, e a 6ª Delegacia Seccional Santo Amaro, que investigam o crime.

O restante dessas denúncias, 64 endereços, foram repassados às delegacias pelo Disque Denúncia, que atende pelo número de telefone 181, e o Web Denúncia, serviço oferecido na internet.

Fonte: IG GENTE
Imprimir