A Assembleia Nacional de Cuba aprovou, nesta segunda-feira (1°), um plano de reformas econômicas no regime comunista da ilha. As medidas devem ser adotadas ao longo dos próximos cinco anos.
Segundo agências internacionais de notícias, a participação do governo em diversos setores, como a agricultura, a construção e o transporte, será reduzida gradualmente. Além disso, os cidadãos cubanos poderão, pela primeira vez em mais de 50 anos, desde a revolução, comprar moradias.
Será permitido, ainda, o comércio livre de veículos. As viagens internacionais também serão facilitadas. E os cubanos poderão abrir, legalmente, pequenos negócios.
Uma comissão estudará como essas reformas serão postas em prática. As medidas de abertura têm sido defendidas por Raúl Castro. Ele está no poder desde 2008, quando o irmão, Fidel, se afastou por problemas de saúde. O Partido Comunista continuará dirigindo Cuba.

Imprimir
Comentários