Assim caminham as obras da ETE

As obras da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) que deveriam ser entregues no dia 2 de março, estão com apenas 32% do cronograma efetivamente concluído

As obras da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) que deveriam ser entregues no dia 2 de março, estão com apenas 32% do cronograma efetivamente concluído

A placa afixada na entrada da obra, talvez até justifique o atraso da mesma. A menos de 20 km por hora, a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) que, inicialmente, deveria estar concluída em 2 de março deste ano, hoje, está com cerca de 32% do cronograma efetivamente concluído, segundo informa a própria empresa contratada para executá-la.
Ao ser lançada no Portal da Transparência, na quinta-feira (19), a informação acusando o crédito de mais uma parcela de um aditivo destinado à construção de parte do projeto (elevatória), como de costume, a equipe de redação esteve no local da obra e constatou que, pouco ou quase nada ali se fez, desde a última visita do jornal, em 20 de dezembro do ano passado, conforme noticiado na edição 932, que circulou no dia 24 de dezembro.
Hoje, segundo o engenheiro, Luiz Augusto Paradinha Rêgo, responsável e pelo que pode ser constatado no local, a Lamar Engenharia disponibiliza na obra, apenas 6 funcionários (não contados aqui, alguns contratados que trabalham na preparação das ferragens).
Confira a informação obtida na quinta-feira (19), via Portal da Transparência:
Número Convênio: 668582
Objeto: IMPLANTACAO DO SES EM FORMIGA MG ETE E ESTACAO ELEVATORIA
Órgão Superior: MINISTERIO DAS CIDADES
Convenente: MUNICIPIO DE FORMIGA
Valor Total: R$ 2.923.726,27
Data da Última Liberação: 10/02/2015
Valor da Última Liberação: R$ 444.103,84

(Custo total previsto com recursos do Governo Federal R$ 10.261.606,86 + R$ 2.923.726,27).

Conforme informações do próprio engenheiro, o andamento das obras, enquanto perdurar o período chuvoso, enfrentará maiores dificuldades técnicas em razão das escavações ainda em aberto, sem as devidas concretagens e que hoje, pelas peculiaridades do solo, exigem o trabalho em terreno alagado. ?Isto acarreta custos extras e dificulta o andamento?, disse Luiz Augusto, que também nos informou que o prazo inicialmente previsto já foi, por meio de acordo com as partes envolvidas, postergado para janeiro de 2016.
Ao ser verificado que a obra teve início em 2 de setembro de 2011, a um custo inicial de R$ 10.261.606,86 e que até agora só se pode considerar como concluídos algo em torno de 30% dos serviços, parece lícito, crer que dificilmente o novo prazo acordado será cumprido.
Também é preciso relembrar que, na região central da cidade, as obras de captação e canalização de esgotos, igualmente não estão concluídas e sem esta parte funcionando perfeitamente, a Estação de Tratamento perde sua função e se transforma, num verdadeiro ?elefante branco?.
Formiga, quem sabe, a exemplo do que ocorreu com as obras do Cefet na Vargem Grande, provavelmente deverá figurar na extensa relação de cidades deste país que abrigam obras bilionárias, inacabadas, por ineficiência ou má fé de nossos ?governantes?.

print
Comentários

Sobre o autor

André Ribeiro

Designer do portal Últimas Notícias, especializado em ricas experiências de interação para a web. Tecnófilo por natureza e apaixonado por design gráfico. É graduado em Bacharelado em Sistemas de Informação pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais.

Assim caminham as obras da ETE

As obras da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) que deveriam ser entregues no dia 2 de março, estão com apenas 32% do cronograma efetivamente concluído.

As obras da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) que deveriam ser entregues no dia 2 de março, estão com apenas 32% do cronograma efetivamente concluído.

 

A placa afixada na entrada da obra, talvez até justifique o atraso da mesma. A menos de 20 km por hora, a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) que, inicialmente, deveria estar concluída em 2 de março deste ano, hoje, está com cerca de 32% do cronograma efetivamente concluído, segundo informa a própria empresa contratada para executá-la.

Ao ser lançada no Portal da Transparência, na quinta-feira (19), a informação acusando o crédito de mais uma parcela de um aditivo destinado à construção de parte do projeto, como de costume, a equipe de redação esteve no local da obra e constatou que, pouco ou quase nada ali se fez, desde a última visita do jornal, em 20 de dezembro do ano passado, conforme noticiado na edição 932, que circulou no dia 24 de dezembro. 

Hoje, segundo o engenheiro, Luiz Augusto Paradinha, responsável e pelo que pode ser constatado no local, a Lamar Engenharia disponibiliza na obra, apenas 6 funcionários (não contados aqui, alguns contratados que trabalham na preparação das ferragens).

 

Confira a informação obtida na quinta-feira (19), via Portal da Transparência:

Número Convênio: 668582 

Objeto: IMPLANTACAO DO SES EM FORMIGA MG ETE E ESTACAO ELEVATORIA 

Órgão Superior: MINISTERIO DAS CIDADES 

Convenente: MUNICIPIO DE FORMIGA 

Valor Total: R$ 2.923.726,27 

Data da Última Liberação: 10/02/2015 

Valor da Última Liberação: R$ 444.103,84

 

(Custo total previsto com recursos do Governo Federal R$ 10.261.606,86 + R$ 2.923.726,27).

 

Conforme informações do próprio engenheiro, o andamento das obras, enquanto perdurar o período chuvoso, enfrentará maiores dificuldades técnicas em razão das escavações ainda em aberto, sem as devidas concretagens e que hoje, pelas peculiaridades do solo, exigem o trabalho em terreno alagado. “Isto acarreta custos extras e dificulta o andamento”, disse Luiz Augusto, que também nos informou que o prazo inicialmente previsto já foi, por meio de acordo com as partes envolvidas, postergado para janeiro de 2016.

Ao ser verificado que a obra teve início em 2 de setembro de 2011, a um custo inicial de R$ 10.261.606,86 e que até agora só se pode  considerar como concluídos algo em torno de 30% dos serviços, parece lícito, crer que dificilmente o novo prazo acordado será cumprido.

Também é preciso relembrar que, na região central da cidade, as obras de captação e canalização de esgotos, igualmente não estão concluídas e sem esta parte funcionando perfeitamente, a Estação de Tratamento perde sua função e se transforma, num verdadeiro “elefante branco”. 

Formiga, quem sabe, a exemplo do que ocorreu com as obras do Cefet na Vargem Grande, provavelmente deverá figurar na extensa relação de cidades deste país que abrigam obras bilionárias, inacabadas, por ineficiência ou má fé de nossos “governantes”. 

 

Paulo Coelho

Comentários

Sobre o autor

André Ribeiro

Designer do portal Últimas Notícias, especializado em ricas experiências de interação para a web. Tecnófilo por natureza e apaixonado por design gráfico. É graduado em Bacharelado em Sistemas de Informação pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais.

Últimas Notícias