?Para garantir a manutenção do atendimento, nesta semana a Secretaria de Saúde está fazendo uma compra direta, para assegurar o fornecimento de material até a licitação ser concluída?. Essa foi a fala do secretário de Saúde, Rafael Alves Tomé na semana passada, quando questionado sobre os cancelamentos das consultas odontológicas nos Postos de Saúde da cidade, justificados pela falta de material básico para o trabalho dos dentistas.
Apesar do discurso da realização da compra direta para evitar os cancelamentos (que já estavam ocorrendo), usuários de PSFs foram informados, mais uma vez, que as consultas seriam canceladas, essa semana, e sem prazo para a remarcação, já que a secretaria não deu uma data para a chegada dos materiais. Todos os tratamentos dentários realizados nos Postos de Saúde, dos mais simples aos mais complexos estão suspensos. Alguns pacientes foram informados por sms e outros por telefone sobre os cancelamentos.
Em contato mais uma vez com a secretaria, questionando a informação sobre a realização da compra direta, que de fato não ocorreu como comprovam os cancelamentos por tempo indeterminado, a resposta por parte do secretário, voltou a ser inconsistente e desanimadora.
?Está sendo providenciada uma compra direta e emergencial para resolver a situação. Essa compra direta já está solicitada e dependendo apenas de trâmites burocráticos. Uma licitação está marcada para o dia 22 de setembro, o que permitirá a contratação de uma empresa fornecedora por um ano?, explicou o secretário Rafael Tomé.
Fato é que, de uma semana para outra as coisas pioraram. Antes a afirmação era de que a compra direta já estava sendo feita, agora está sendo providenciada. Licitação só daqui um mês! Enquanto isso resta aos profissionais desfrutarem de férias forçadas, e a população continuar pagando por um serviço público que ficará suspenso por falta de planejamento da Secretaria de Saúde.

print
Comentários