O Aterro Sanitário Areias Brancas, recentemente inaugurado em Formiga, é um dos projetos mais importantes do município e um dos mais modernos da América do Sul. A obra foi pauta do jornal MGTV 2ª edição da rede Integração, afiliada à Rede Globo desta quarta-feira (19).
Na reportagem foram abordadas a dimensão da obra, os benefícios, a importância de um aterro para a preservação ambiental e para o município.
O secretário de Gestão Ambiental, Paulo Coelho também esteve presente no local e comentou sobre o aterro. ?Este é um projeto moderno que atende todas as normas ambientais, dentre elas, respeitar os limites de 500 metros de comunidades e 300 metros de mananciais. É uma obra de aproximadamente R$ 2 milhões. Com seu funcionamento poderá arrecadar para o município cerca de R$ 1,2 milhão em ICMS ecológico por ano.?
O secretário também comentou que serão construídas sete plataformas, sendo que, uma delas já está pronta e preparada para receber o lixo, com área média de 16 mil m² cada, além de outras edificações. A obra atenderá o município com total segurança por 21 anos.
Em fase de teste
Na segunda-feira (17), o Aterro Sanitário de Formiga começou a receber o lixo recolhido na cidade. De acordo com Paulo Coelho, o aterro ainda está em fase de teste, principalmente na compactação dos resíduos. ´´Somente a partir de setembro todo o lixo recolhido será levado para o aterro. Neste tempo estamos treinando o pessoal e adequando o local. Sabe-se que lá não pode ser jogado qualquer tipo de resíduo?, comentou.
Segundo o secretário, 23 servidores já participaram de um treinamento para operar no aterro e outra equipe irá para Belo Horizonte no final de agosto e início de setembro para se aprimorarem em cursos como Implantação e Operação de Unidades de Triagem e Compostagem e ?Interpretação de Resultados de Análises de Água e Esgoto e Parâmetros Ambientais e Operacionais?. Os cursos são realizados na sede da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (ABES-MG).
A secretaria de Gestão Ambiental também tem outra preocupação, o sistema da Entrega Seletiva de lixo. Para que o trabalho de triagem seja dinâmico é necessário que a comunidade colabore. É importante que seja feito um trabalho de conscientização para que os resíduos já sejam separados nas residências e empresas antes de serem colocados para recolhimento do caminhão de lixo.
O secretário de Comunicação, Túlio Fonseca também ressaltou que poderá ser criada uma comissão do Sistema Entrega Seletiva do Lixo entre membros das Secretarias de Comunicação, Gestão Ambiental, Educação e Saúde. ?Estamos com esta intenção. A secretaria de Gestão Ambiental não trabalha sozinha, a responsabilidade é de todos, para se ter um resultado com sucesso é preciso trabalhar em equipe?, disse Túlio.

print
Comentários