Atlético decepciona, perde para o Atlas e se complica na Copa Libertadores

Alvinegro volta a errar muito e sai do Independência derrotado por 1 a 0

Alvinegro volta a errar muito e sai do Independência derrotado por 1 a 0

A caminhada do Atlético em busca do segundo título da Copa Libertadores vai exigir que o time se reinvente na competição. Nesta quarta-feira (25), o Galo sofreu dura derrota no Independência. Depois de perder na estreia para o Colo Colo (CHI), o Alvinegro errou muito e foi superado por 1 a 0 pelo Atlas (MEX).

O Atlético é o lanterna do Grupo 1, sem pontos. Colo Colo, Santa Fe e Atlas somam três pontos. Os dois primeiros se enfrentam nesta quinta-feira na Colômbia.

Agora, o Galo terá de tentar reagir fora de casa. No dia 18 de março, a equipe vai a Bogotá encarar o Santa Fe.
O Jogo

Foram muitos obstáculos: a pressão pela reabilitação, a forte chuva, a ?cera? mexicana e os vários desfalques (Lucas Pratto, Marcos Rocha, Douglas Santos, Guilherme, Giovanni Augusto, Pedro Botelho, Jô), que resultaram em óbvia queda técnica da equipe. Mais que jogar, o Atlético precisou lutar, se superar. Não conseguiu.

De uniforme novo, o Galo não se encontrou. Levou sustos desde o início. Por muito pouco, Millar não abriu o placar. Ele recebeu na área, deixou os dois zagueiros alvinegros no chão e chutou para fora. Minutos depois, Caballero também finalizou rente à trave.

O meio-campo do Atlético errou muito. Dátolo e Luan tentaram criar. Maicosuel mais uma vez não acrescentou. Os laterais não foram opção ofensiva. André ficou isolado.

A primeira grande chance do Galo foi graças ao erro do goleiro Vilar, que, aos 19 minutos, deixou a bola de presente para Luan, na entrada da área. Porém, a finalização foi ruim.

O time mineiro teve dificuldades, mas teve mais oportunidades no primeiro tempo. Aos 28, Luan arriscou de fora da área e quase marcou. A bola desviou no zagueiro e não entrou por muito pouco. Aos 32, o goleiro Vilar não segurou a cobrança de falta de Dátolo, a bola sobrou para André, que não esperava e furou.

Para aumentar a lista de obstáculos do Atlético, aos 35 minutos a equipe perdeu Leonardo Silva. O capitão fraturou um dos dedos da mão esquerda.

Na etapa final, o técnico Levir Culpi arriscou tudo. Sacou o volante Leandro Donizete para a entrada do meia colombiano Cárdenas.

O Galo tentou ir para o abafa, mas se expôs. Emoções a cada ataque no Independência. Depois que Lucas Cândido exigiu grande defesa de Vilar, o Atlas deixou o torcedor atleticano com o ?coração na mão?.

Missão para o goleiro Victor. Evitou o gol de Keno, aos 15 minutos. E salvou o Atlético aos 25 minutos com o rosto, na finalização de Perez. O travessão também ajudou, no chute de Medina, um minuto antes.

Afobado, nervoso, sem muita organização, o Atlético correu contra o tempo. Tropeçou em seus erros. Foi castigado aos 41 minutos. No contra-ataque, Suárez foi lançado livre e tocou na saída de Victor para fazer 1 a 0.

print
Comentários

Sobre o autor

André Ribeiro

Designer do portal Últimas Notícias, especializado em ricas experiências de interação para a web. Tecnófilo por natureza e apaixonado por design gráfico. É graduado em Bacharelado em Sistemas de Informação pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais.

Atlético decepciona, perde para o Atlas e se complica na Copa Libertadores

Alvinegro volta a errar muito e sai do Independência derrotado por 1 a 0.

Alvinegro volta a errar muito e sai do Independência derrotado por 1 a 0.

 

A caminhada do Atlético em busca do segundo título da Copa Libertadores vai exigir que o time se reinvente na competição. Nesta quarta-feira (25), o Galo sofreu dura derrota no Independência. Depois de perder na estreia para o Colo Colo (CHI), o Alvinegro errou muito e foi superado por 1 a 0 pelo Atlas (MEX).

O Atlético é o lanterna do Grupo 1, sem pontos. Colo Colo, Santa Fe e Atlas somam três pontos. Os dois primeiros se enfrentam nesta quinta-feira na Colômbia.

Agora, o Galo terá de tentar reagir fora de casa. No dia 18 de março, a equipe vai a Bogotá encarar o Santa Fe.

 

O Jogo

Foram muitos obstáculos: a pressão pela reabilitação, a forte chuva, a ‘cera’ mexicana e os vários desfalques (Lucas Pratto, Marcos Rocha, Douglas Santos, Guilherme, Giovanni Augusto, Pedro Botelho, Jô), que resultaram em óbvia queda técnica da equipe. Mais que jogar, o Atlético precisou lutar, se superar. Não conseguiu.

De uniforme novo, o Galo não se encontrou. Levou sustos desde o início. Por muito pouco, Millar não abriu o placar. Ele recebeu na área, deixou os dois zagueiros alvinegros no chão e chutou para fora. Minutos depois, Caballero também finalizou rente à trave.

O meio-campo do Atlético errou muito. Dátolo e Luan tentaram criar. Maicosuel mais uma vez não acrescentou. Os laterais não foram opção ofensiva. André ficou isolado.

A primeira grande chance do Galo foi graças ao erro do goleiro Vilar, que, aos 19 minutos, deixou a bola de presente para Luan, na entrada da área. Porém, a finalização foi ruim.

O time mineiro teve dificuldades, mas teve mais oportunidades no primeiro tempo. Aos 28, Luan arriscou de fora da área e quase marcou. A bola desviou no zagueiro e não entrou por muito pouco. Aos 32, o goleiro Vilar não segurou a cobrança de falta de Dátolo, a bola sobrou para André, que não esperava e furou.

Para aumentar a lista de obstáculos do Atlético, aos 35 minutos a equipe perdeu Leonardo Silva. O capitão fraturou um dos dedos da mão esquerda.

Na etapa final, o técnico Levir Culpi arriscou tudo. Sacou o volante Leandro Donizete para a entrada do meia colombiano Cárdenas.

O Galo tentou ir para o abafa, mas se expôs. Emoções a cada ataque no Independência. Depois que Lucas Cândido exigiu grande defesa de Vilar, o Atlas deixou o torcedor atleticano com o ‘coração na mão’

Missão para o goleiro Victor. Evitou o gol de Keno, aos 15 minutos. E salvou o Atlético aos 25 minutos com o rosto, na finalização de Perez. O travessão também ajudou, no chute de Medina, um minuto antes.

Afobado, nervoso, sem muita organização, o Atlético correu contra o tempo. Tropeçou em seus erros. Foi castigado aos 41 minutos. No contra-ataque, Suárez foi lançado livre e tocou na saída de Victor para fazer 1 a 0.

Redação do Jornal Nova Imprensa Superesportes

Comentários

Sobre o autor

André Ribeiro

Designer do portal Últimas Notícias, especializado em ricas experiências de interação para a web. Tecnófilo por natureza e apaixonado por design gráfico. É graduado em Bacharelado em Sistemas de Informação pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais.

Últimas Notícias