O departamento financeiro do Atlético viveu momentos de aperto na reta final de 2018. Entretanto, neste começo de segundo ano da gestão de Sette Câmara, há uma mudança na política de investimentos em relação ao mesmo período da temporada passada.

Bicampeão da Copa do Brasil, o Cruzeiro tenta proteger a manutenção das principais peças – apesar da saída de Arrascaeta para o Flamengo – e libera jogadores que pesavam a folha salarial, e não tinham participação tão efetiva no time titular, como Bruno Silva, Manoel e Ezequiel. A espera é pela chegada de Rodriguinho como “reforço de impacto”. 

No ano passado, a Raposa gastou mais de R$ 20 milhões em contratações nesta janela de início de temporada, enquanto neste ano está “zerada”, por enquanto. O Atlético segue o caminho contrário. Ficou com o bolso trancado na virada de 2017/2018 e já extrapolou os R$ 20 milhões traçados no orçamento de 2019, ainda que boa parte desse montante tenha aporte do Banco BMG, ao menos na contratação de Igor Rabello, em pagamento à vista para o Botafogo.

Galo

Em dezembro de 2017 e janeiro de 2018, foram sete contratações por parte do Atlético. Nenhuma delas foi alvo de uma “transferência definitiva e onerosa”. Ricardo Oliveira veio livre no mercado após não renovar com o Santos, ainda teve o pacote de emprestados do Palmeiras – Erik, Arouca e Róger Guedes – além da fracassada passagem de Samuel Xavier cedido pelo Sport Recife.

Agora, as reformulações no elenco passam pelo diretor de futebol Marques, que apresentou o sexto reforço oficial de 2019: Maicon Bolt, que assim como Vinícius, estava livre para assinar com qualquer clube após rescisão na Turquia. Ambos, por enquanto, são os únicos que chegaram “de graça”. Para ter Réver, o Galo pagou “pequena compensação financeira ao Internacional”, conforme revelou uma fonte da diretoria do Colorado ao Hoje em Dia.

Guga teve a liberação do Avaí mediante R$ 8 milhões de pagamento (70% dos direitos) e mais a cessão de dois atletas do Galo emprestados ao time de Santa Catarina – Alex Silva foi o primeiro, falta decidir o segundo. Igor Rabello é o maior investimento da diretoria nesta janela. Arrancado do Botafogo por R$ 13 milhões (70% dos direitos).

Jair veio mediante briga judicial com o Sport, mas no fim, o Galo negociou diretamente com o clube pernambucano e perdoou R$ 1,3 milhões que o clube devia pela compra de 20% do atacante André.

O próximo reforço deverá ser o primeiro a vir emprestado pelo Galo neste ano. Rafael Papagaio deverá renovar hoje com o Palmeiras e ser cedido por 12 meses ao Atlético, onde já realizou exames médicos.

Cruzeiro

O Cruzeiro vive neste ano situação antagônica à temporada passada. Se foi gastador no começo de 2018, agora faz contratações pontuais e aguarda pequenos detalhes para investir seus primeiros milhões, já que Rodriguinho está por detalhes de ser anunciado.

A contratação do meia será aportada por um parceiro e deve custar algo em torno de R$ 15 milhões aos cofres celestes.

Além disso, o clube ganhou um bom montante pela venda de Arrascaeta e ainda pode faturar mais dinheiro com a saída do jovem goleiro Gabriel Brazão, que interessa a grandes clubes da Itália. Essa negociação pode render pelo menos mais R$ 10 milhões à Raposa, que deve usar parte da quantia para quitar dívidas. 

 

 

Fonte: Hoje em Dia ||

print

Comentários