E o novo treinador? Esta é a pergunta mais frequente entre os atleticanos nas últimas semanas.  A procura do técnico para 2020 começou antes mesmo da chegada de Vagner Mancini, contratado no dia 14 de outubro, em substituição a Rodrigo Santana, demitido um dia antes.


Mancini, que chegou ao clube com contrato até o fim de 2019, não teve sinalização de continuidade no clube em nenhum momento. Desta forma, a diretoria procura um treinador para a próxima temporada há mais de dois meses. 

A demora para anunciar um novo comandante é algo recorrente nos últimos anos. Em fevereiro de 2017, quando Oswaldo de Oliveira foi demitido, Thiago Larghi assumiu a equipe na condição de interino. Mas, com dificuldade de encontrar um técnico no mercado, Larghi só foi efetivado em junho, quatro meses depois. 

A situação se repetiu no ano seguinte. Levir Culpi foi demitido no dia 11 de abril, e Rodrigo Santana ficou como interino até que o clube encontrasse um novo técnico. Depois de negativas de alguns treinadores, como Rogério Ceni e Tiago Nunes, Santana foi efetivado em 24 de junho, mais de dois meses após a saída de Levir. 

Por enquanto, os atleticanos convivem com a ansiedade para a definição do novo comandante. Fábio Carille, ex-Corinthians, o espanhol Miguel Ángel Ramirez, do Independiente Del Valle, e Sampaoli, ex-Santos, foram alguns nomes especulados nas últimas semanas. 

A escolha do novo técnico demanda pressa por causa do planejamento do elenco para 2020. A tendência para o ano que vem é de uma equipe mais jovem, com investimento no futebol ainda menor em comparação aos anos anteriores.  

 

Fonte: Hoje em Dia ||
Imprimir
Comentários