Atlético vence Caldense com ‘renascimento’ de Jô, lance polêmico e conquista o Mineiro 2015

A Caldense, que fez brilhante campanha, a melhor equipe da fase de classificação, reclamou muito de impedimento de Jô, que estava um pouco adiantado no lance.

A Caldense, que fez brilhante campanha, a melhor equipe da fase de classificação, reclamou muito de impedimento de Jô, que estava um pouco adiantado no lance.

O destino guardou um gol em final de campeonato para Jô encerrar o jejum de mais de um ano. O destino guardou para o Atlético a taça do Campeonato Mineiro. O Galo derrotou a Caldense por 2 a 1, na tarde deste domingo, em Varginha, na decisão do Estadual. Thiago Ribeiro abriu o placar. Luiz Eduardo empatou, placar que daria o troféu à Veterana. Mas Jô, momentos depois de entrar em campo, voltou a brilhar. Marcou o gol que pôs fim à ?seca? e valeu o troféu.

A Caldense, que fez brilhante campanha, a melhor equipe da fase de classificação, reclamou muito de impedimento de Jô, que estava um pouco adiantado no lance. No fim da partida, jogadores e integrantes da comissão técnica partiram para cima da arbitragem. A Polícia Militar precisou proteger os árbitros. Do outro lado, festa alvinegra.

O Jogo

A Caldense mostrou em campo os méritos que teve para chegar à final. Encarou o Atlético de igual para igual, como já havia feito na partida de ida. Defesa firme, a melhor do campeonato. Meio-campo marcador. E um ataque que buscou o gol. Quem esperava o Galo mandando no jogo, se surpreendeu com a Veterana. O Atlético precisou lutar, suar a camisa.
Não teve bola perdida. Não teve um minuto de relaxamento. Foi uma partida muito disputada, com as duas equipes reclamando pênaltis não marcados.

A cada ataque desperdiçado, Caldense, jogadores e torcida, não desanimavam. Renovavam o sonho da taça. Aos 10 minutos, com Tiago Azulão chutou e a bola passou na cara do gol. Aos 23, foi a vez de Zámbi finalizar com perigo. No minuto seguinte, Paulão, de cabeça, não marcou por centímetros. Aos 29, foi a trave que evitou o gol de Azulão.

Do lado atleticano, foi um primeiro tempo mais uma vez irregular, com dificuldades para organizar as jogadas. Depois de alguns chutes de fora da área, o Galo teve duas boas oportunidades. Aos 28 minutos, Leonardo Silva, por pouco, não marcou de cabeça. Aos 43, Luan cabeceou, mas o desvio no zagueiro e, em seguida, na trave, evitaram o gol.

Na etapa final, Levir Culpi apostou tudo. Tirou o volante Leandro Donizete e o atacante Carlos para as entradas do meia Giovanni Augusto e do atacante Thiago Ribeiro. No primeiro lance, Giovanni Augusto, que estreou em 2015, depois de acionar o clube na Justiça do Trabalho e agora retirar a ação, quase marcou, mas o toque na saída do goleiro não foi na direção da meta adversária.

Mas foi a outra aposta de Levir que assinou o gol atleticano. Aos 10 minutos, depois da cobrança falta de lateral de Marcos Rocha, Lucas Pratto tocou e Thiago Ribeiro mandou para as redes: 1 a 0, encerrado uma invencibilidade de oito jogos da defesa da Caldense.

Mais uma vez, quem pensou que a Veterana sentiria o golpe, se enganou. Quatro minutos depois, Rafael Estevam cobrou falta, a bola desviou em Luiz Eduardo e Victor não segurou. Na sobra, o próprio Luiz Eduardo empatou: 1 a 1.
O Atlético foi para o ataque. Aos 18 minutos, Luan rolou para a entrada da pequena área e Dátolo teve a finalização abafada pelo goleiro. Aos 23, o ?maluquinho? alvinegro quase fez de cabeça.

A cartada final de Levir Culpi foi Jô, no lugar do lateral Douglas Santos, aos 30 minutos. O atacante teve a chance aos 31, mas chutou em cima do goleiro. Em seguida, o destino colocou Jô como o autor do gol do título. Depois do cruzamento de Luan, ele completou para as redes: 2 a 1. Jô estava um pouco adiantado, em posição irregular, mas de difícil marcação. Os jogadores da Caldense reclamaram muito do lance.

A Caldense ainda deu um susto no atleticanos. Aos 42 minutos, Léo cabeceou e a bola saiu pela linha de fundo. Fim de jogo. Atlético campeão mineiro.

Imprimir

Sobre o Autor

André Ribeiro

Designer do portal Últimas Notícias, especializado em ricas experiências de interação para a web. Tecnófilo por natureza e apaixonado por design gráfico. É graduado em Bacharelado em Sistemas de Informação pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais.

Atlético vence Caldense com ‘renascimento’ de Jô, lance polêmico e conquista o Mineiro 2015

A Caldense, que fez brilhante campanha, a melhor equipe da fase de classificação, reclamou muito de impedimento de Jô, que estava um pouco adiantado no lance.

A Caldense, que fez brilhante campanha, a melhor equipe da fase de classificação, reclamou muito de impedimento de Jô, que estava um pouco adiantado no lance.

 

O destino guardou um gol em final de campeonato para Jô encerrar o jejum de mais de um ano. O destino guardou para o Atlético a taça do Campeonato Mineiro. O Galo derrotou a Caldense por 2 a 1, na tarde deste domingo, em Varginha, na decisão do Estadual. Thiago Ribeiro abriu o placar. Luiz Eduardo empatou, placar que daria o troféu à Veterana. Mas Jô, momentos depois de entrar em campo, voltou a brilhar. Marcou o gol que pôs fim à ‘seca’ e valeu o troféu.

A Caldense, que fez brilhante campanha, a melhor equipe da fase de classificação, reclamou muito de impedimento de Jô, que estava um pouco adiantado no lance. No fim da partida, jogadores e integrantes da comissão técnica partiram para cima da arbitragem. A Polícia Militar precisou proteger os árbitros. Do outro lado, festa alvinegra.

 

O Jogo

A Caldense mostrou em campo os méritos que teve para chegar à final. Encarou o Atlético de igual para igual, como já havia feito na partida de ida. Defesa firme, a melhor do campeonato. Meio-campo marcador. E um ataque que buscou o gol. Quem esperava o Galo mandando no jogo, se surpreendeu com a Veterana. O Atlético precisou lutar, suar a camisa.

Não teve bola perdida. Não teve um minuto de relaxamento. Foi uma partida muito disputada, com as duas equipes reclamando pênaltis não marcados.

A cada ataque desperdiçado, Caldense, jogadores e torcida, não desanimavam. Renovavam o sonho da taça. Aos 10 minutos, com Tiago Azulão chutou e a bola passou na cara do gol. Aos 23, foi a vez de Zámbi finalizar com perigo. No minuto seguinte, Paulão, de cabeça, não marcou por centímetros. Aos 29, foi a trave que evitou o gol de Azulão.

Do lado atleticano, foi um primeiro tempo mais uma vez irregular, com dificuldades para organizar as jogadas. Depois de alguns chutes de fora da área, o Galo teve duas boas oportunidades. Aos 28 minutos, Leonardo Silva, por pouco, não marcou de cabeça. Aos 43, Luan cabeceou, mas o desvio no zagueiro e, em seguida, na trave, evitaram o gol.

Na etapa final, Levir Culpi apostou tudo. Tirou o volante Leandro Donizete e o atacante Carlos para as entradas do meia Giovanni Augusto e do atacante Thiago Ribeiro. No primeiro lance, Giovanni Augusto, que estreou em 2015, depois de acionar o clube na Justiça do Trabalho e agora retirar a ação, quase marcou, mas o toque na saída do goleiro não foi na direção da meta adversária.

Mas foi a outra aposta de Levir que assinou o gol atleticano. Aos 10 minutos, depois da cobrança falta de lateral de Marcos Rocha, Lucas Pratto tocou e Thiago Ribeiro mandou para as redes: 1 a 0, encerrado uma invencibilidade de oito jogos da defesa da Caldense.

Mais uma vez, quem pensou que a Veterana sentiria o golpe, se enganou. Quatro minutos depois, Rafael Estevam cobrou falta, a bola desviou em Luiz Eduardo e Victor não segurou. Na sobra, o próprio Luiz Eduardo empatou: 1 a 1.

O Atlético foi para o ataque. Aos 18 minutos, Luan rolou para a entrada da pequena área e Dátolo teve a finalização abafada pelo goleiro. Aos 23, o “maluquinho” alvinegro quase fez de cabeça.

A cartada final de Levir Culpi foi Jô, no lugar do lateral Douglas Santos, aos 30 minutos. O atacante teve a chance aos 31, mas chutou em cima do goleiro. Em seguida, o destino colocou Jô como o autor do gol do título. Depois do cruzamento de Luan, ele completou para as redes: 2 a 1. Jô estava um pouco adiantado, em posição irregular, mas de difícil marcação. Os jogadores da Caldense reclamaram muito do lance.

A Caldense ainda deu um susto no atleticanos. Aos 42 minutos, Léo cabeceou e a bola saiu pela linha de fundo. Fim de jogo. Atlético campeão mineiro.

Redação do Jornal Nova Imprensa Superesportes

Sobre o Autor

André Ribeiro

Designer do portal Últimas Notícias, especializado em ricas experiências de interação para a web. Tecnófilo por natureza e apaixonado por design gráfico. É graduado em Bacharelado em Sistemas de Informação pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais.

Deixe um comentário!

Atenção! Os comentários do portal Últimas Notícias são via Facebook, se deseja comentar esteja logado. Lembre-se que os comentários são de inteira responsabilidade dos autores e não representam a nossa opinião.

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!