A partir de maio, a conta de luz vai ficar mais cara com bandeira vermelha 1, segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Neste patamar, a taxa adicional tem aumento de 10%.

 Em nota, a Aneel afirmou que as bacias hidrográficas estão nos piores níveis em 80 anos, o que sinaliza piores condições para geração de energia hidrelétrica e a maior necessidade de acionar usinas térmicas, que geram energia mais cara.

Para o comentarista do Canal Rural Miguel Daoud, considerando que grande parte da geração de energia do Brasil é hídrica e o volume chuva está abaixo da média nos principais reservatórios do Sudeste, o aumento da conta de luz pode diminuir o poder de compra do brasileiro.

“Quando temos o acionamento da bandeira vermelha significa aumento no custo da energia, gerando inflação e consequentemente tirando o poder de compra do brasileiro que já é muito baixo. Nesse sentido, a demanda por alimento pode diminuir devido à perda de renda do trabalhador e por outro lado ela gera inflação e aumento de juros”, explica.

Daoud ainda ressalta que o panorama climático não é positivo no cenário atual. “Quando olhamos pela perspectiva da modificação do clima, este é um cenário que veio para ficar, podendo a situação se agravar devido ao ciclo interdecadal do Pacífico [fenômeno meteorológico que ocorre em uma área mais ampla do Pacífico] que prejudica e encarece o fornecimento de energia gerando inflação”, pontua.

Fonte: Canal Rural

Imprimir
Comentários