A avaliação negativa do governo da presidente Dilma Rousseff, de 68% dos entrevistados, é a pior da série histórica do levantamento feito pelo Ibope divulgado nesta quarta-feira (1º), pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

O porcentual daqueles que avaliam como ruim ou péssimo o governo bateu o recorde nos 29 anos dos dados compilados pela pesquisa e ultrapassou a marca negativa do então presidente José Sarney em julho de 1989.
Por outro lado, a avaliação positiva do governo de Dilma, de 9%, só não foi pior à registrada por Sarney em sondagens realizadas em junho e em julho de 1989. Na ocasião, Sarney tinha 7% de avaliação ótima ou boa dos entrevistados.

O levantamento foi realizado entre 18 e 21 do mês passado, antes da divulgação do conteúdo da delação premiada de Ricardo Pessoa, dono da empreiteira UTC. Foram ouvidas 2.002 pessoas em 141 municípios. A margem de erro máxima é de dois pontos porcentuais e o grau de confiança é de 95%.

Ruim ou péssimo

O percentual da população que considera o governo Dilma como ruim ou péssimo oscilou de 64% na última pesquisa, em março deste ano, para 68% na atual sondagem, enquanto a desaprovação de sua maneira de governar subiu de 78% na anterior para 83% nesta.

O pior índice que um presidente havia atingido desde a redemocratização havia sido de 64% por José Sarney em julho de 1989 -o mesmo de Dilma na pesquisa CNI-Ibope anterior.

A pesquisa foi a campo entre os dias 18 a 21 de junho. Foram feitas 2.002 entrevistas em 141 municípios. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Os dados do levantamento CNI-Ibope demonstram a crise política e econômica em que a atual gestão está inserida, após aprovar um ajuste fiscal criticado por retirar direitos dos trabalhadores, sofrer sucessivas derrotas no Congresso e enfrentar denúncias de corrupção na Operação Lava Jato, que investiga irregularidades na Petrobras.

Levando em conta a série histórica das pesquisas CNI-Ibope desde o governo José Sarney (1985-1989), é a pior avaliação de governo desde o fim da ditadura militar. Na gestão Fernando Collor (1990-1992), que sofreu impeachment após denúncias de corrupção, a avaliação ruim ou péssimo chegou a 59% em agosto de 1992, pouco antes de ser afastado. Seu impeachment foi aprovado em setembro pela Câmara.

Dilma iniciou seu mandato com uma avaliação ruim ou péssimo de 5%, pela pesquisa de março de 2011. Naquela ocasião, 56% consideravam seu governo ótimo ou bom. Agora, apenas 9% o consideram ótimo ou bom. 

De modo geral, o panorama da gestão Dilma sobre assuntos específicos é todo desfavorável. A desaprovação é maior que a aprovação em todas as áreas de atuação citadas pela pesquisa aos entrevistados, desde combate à fome e à pobreza até taxa de juros e combate à inflação.
 

 

Hoje em Dia

Imprimir
Comentários