O presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19, instalada pelo Senado Federal, Omar Aziz (PSD-AM), garante que depoentes serão punidos por possíveis mentiras contadas em suas oitivas. Ele deu a declaração nesta sexta-feira (21), pelo Twitter.

A fala de Aziz ocorre na semana em que o ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, foi acusado de mentir durante o interrogatório. As suspeitas foram levantadas pelo alagoano Renan Calheiros (MDB), relator da apuração.

“Toda mentira vai ser punida. Confie na nossa condução. Abraços e bom final de semana”, escreveu o presidente da CPI, em resposta a um internauta.

Aziz também assegurou a outros usuários do Twitter que responsáveis por omissões e mentiras serão responsabilizados. Testemunhas e investigados não podem mentir às CPIs.

Se houver flagrante delito, os senadores podem, inclusive, pedir a prisão do depoente que tiver mentido. Isso quase ocorreu durante a oitiva do ex-secretário Especial de Comunicação da Presidência, Fábio Wajngarten. Renan Calheiros disse que iria solicitar a detenção do ex-palaciano, mas acabou demovido da ideia.

No relatório final do grupo, os integrantes da CPI têm a prerrogativa de solicitar o indiciamento de pessoas.


Ainda nesta sexta — e também pelo Twitter —, Omar Aziz mostrou descontentamento com a provocação feita pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na quinta (20). O chefe do poder Executivo federal, durante sua live semanal, fez menção à Zona Franca de Manaus, importante pólo produtivo para a economia nacional.

“Imagine Manaussem a Zona Franca, hein, senador Aziz? Você que fala tanto na CPI, senador Eduardo Braga, imagine aí o estado, ou Manaus, sem a Zona Franca?”, disse Bolsonaro.

Aziz, então, rebateu, afirmando que as ameaças à Zona Franca prejudicam o povo do Amazonas — e não apenas ele e o emedebista Eduardo Braga.

“O presidente pode ameaçar a mim, ao Eduardo, mas ao ameaçar a Zona Franca de Manaus o negócio é mais embaixo. É preciso respeitar os amazonenses, porque ele não pode ameaçar algo que é garantido por lei, que assegura o sustento e a vida de tantos amazonenses”, disparou.

“A Zona Franca tem um importante papel na economia, não apenas do Estado do Amazonas, mas do Brasil”, completou o parlamentar.

Fonte: Estado de Minas

print
Comentários