A balança comercial brasileira registrou, até este domingo (22), superávit (exportações maiores que importações) de US$3,58 bilhões no acumulado de outubro, informou o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC).

Nas duas primeiras semanas do mês, as exportações brasileiras somaram US$12,92 bilhões, com alta de 34,6% sobre o mesmo período de 2016. Já as importações somaram US$9,33 bilhões, aumento de 17,2% na mesma comparação.

Cresceram, no acumulado de outubro, as vendas ao exterior de produtos básicos (+45,9%), de manufaturados (+23,4%), e também as exportações de produtos semimanufaturados (+32,3%).

Do lado das importações, cresceram as compras de combustíveis e lubrificantes (+83,4%), veículos automóveis e partes (+21,4%), equipamentos eletroeletrônicos (+20,1%), instrumentos de ótica e precisão (+18,7%), químicos orgânicos e inorgânicos (+11,9%).

 

Acumulado do ano

Na parcial do ano, até 22 de outubro, a balança comercial brasileira registrou superávit (exportações maiores que importações) de US$56,86 bilhões.

O superávit registrado na parcial de 2017 é recorde. No mesmo período do ano passado, a balança também registrou saldo positivo, mas menor: US$38,04 bilhões.

O saldo comercial do acumulado de 2017 supera, ainda, o resultado positivo de todo ano passado (US$47,7 bilhões), que era o maior da série histórica, que começa em 1989.

Na parcial de 2017, até setembro, as exportações somaram US$177,52 bilhões, com média diária de US$878 milhões (alta de 19,5% sobre o mesmo período do ano passado).

Já as importações somaram US$120,65 bilhões, ou US$597 milhões por dia útil (aumento de 9,1% em relação ao mesmo período de 2016).

Previsões

A expectativa do mercado financeiro para este ano, segundo pesquisa do Banco Central, é que o saldo positivo da balança comercial alcance US$64,7 bilhões.

O Banco Central, por sua vez, prevê superávit da balança comercial de US$61 bilhões para 2017, enquanto o Ministério do Desenvolvimento estima um saldo comercial positivo acima de US$60 bilhões para este ano.

IMPRIMIR
Fonte:

G1