A Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte anunciou nesta quinta-feira (9) que pelo menos cinco pessoas morreram em decorrência da Influenza A H1N1 (gripe suína) neste ano. Das vítimas, duas residiam na capital e as outras três eram do interior do Estado, e se tratavam em hospitais da cidade.
Na semana passada, a Secretaria de Estado de Saúde (SES) divulgou um balanço no qual constava um total de 21 óbitos em função da doença. No entanto, nenhum deles era de Belo Horizonte. Procurada, a SES confirmou apenas uma morte na capital e informou que normalmente contabiliza o dado levando em consideração o município onde o paciente residia e não onde ele procurou atendimento.
Mas em nota, a secretaria ressaltou que duas das mortes já tinham sido anunciadas anteriormente. As outras três ocorreram no mês passado e foram confirmadas nesta semana pela Fundação Ezequiel Dias (Funed), a partir das amostras coletadas das vítimas.
O primeiro óbito registrado na capital em julho se refere a uma mulher de 48 anos. Ela morava em Belo Horizonte e faleceu no dia 2, no Hospital Odilon Behrens, na região Noroeste. A segunda vítima da doença morreu no dia 13, no Hospital Eduardo de Menezes, na região Oeste. A mulher, de 47 anos, era natural de Santo Antônio do Monte, no Centro-Oeste do Estado. A terceira morte, registrada no dia 15, ocorreu no Hospital Risoleta Neves. Uma grávida, de 32 anos, saiu de Ribeirão das Neves para se tratar na capital.
Os outros dois casos que provocaram óbitos em Belo Horizonte, segundo a secretaria municipal, ocorreram em janeiro e em maio.
De acordo com a SMSA, Belo Horizonte ultrapassou a meta estipulada pelo Ministério da Saúde de vacinar 80% do público-alvo durante a campanha de vacinação deste ano, que teve início em 5 de maio.

print
Comentários