O bitcoin recuou mais 13% nesta terça-feira (6), para menos de US$ 6 mil, levando a criptomoeda mais conhecida do mundo a perder mais da metade de seu valor desde o início de 2018.

O bitcoin caiu fortemente nas sessões recentes, uma vez que as preocupações com uma repressão regulatória no mercado emergente e investidores em pânico derrubaram as cotações. A moeda digital atingiu um pico de quase US$20 mil em dezembro.

Na bolsa Bitstamp baseada no Luxemburgo, o bitcoin caiu para US$5.920, o nível mais baixo desde meados de novembro, antes de se recuperar um pouco. Outras criptomoedas também caíram acentuadamente nesta semana.

“É preciso ver, por trás deste movimento, o endurecimento regulatório e o fato de os investidores perderem confiança” nas moedas virtuais, especialmente depois da pirataria da plataforma de intercâmbio japonesa Coincheck, disse à AFP Stephen Innes, responsável pelas transações Ásia-Pacífico em Oanda, uma companhia de serviços financeiros especializada no mercado de divisas.

Em 26 de janeiro, a Coincheck perdeu o equivalente a US$ 530 milhões em pirataria de ativos da divisa virtual NEM. Foi o maior roubo na história das criptomoedas.

A semana passada foi “a pior semana para o bitcoin desde janeiro de 2015”, de acordo com especialistas da Mirabaud Securities, que fica em Genebra.

As autoridades monetárias e os atores financeiros no mundo endureceram suas posturas nos últimos dias em relação às moedas virtuais.

Depois do roubo na Coincheck, o ministro japonês das Finanças, Taro Aso, admitiu que seu governo “precisa reforçar a supervisão”. Também disse que “faltaram (à plataforma) conhecimentos básicos e bom senso”.

IMPRIMIR

Fonte:

G1