Com a pandemia causada pelo Covid-19 o número de famílias em situação de vulnerabilidade social tem se mantido muito alto. A administração municipal, por meio do Banco Municipal de Alimentos tem conseguido ajudar essas famílias, com a doação de gêneros alimentícios e também roupas, produtos de higiene e limpeza.

Com o apoio de muitos parceiros doadores, no primeiro semestre de 2021 o equipamento já fez a doação de 238.951 kg de alimentos, que foram captados através de doações de parceiros (produtores, comerciantes, entidades, Bancos de Alimentos da Rede Metropolitana de Bancos de Alimentos – REBA-RMBH, Mesa Brasil Sesc), da colheita de unidades do Projeto Horta Urbana, do Projeto Feira Solidária, de inúmeros parceiros da sociedade civil e também adquiridos da agricultura familiar através do PAA – Programa de Aquisição de Alimentos.

Nesse período foram doadas 795 cestas básicas e 10.507 cestas verdes (frutas, verduras, quitandas e doces) a famílias em situação de vulnerabilidade social através dos CRAS – Centros de Referência e Assistência Social. Receberam doações do BMA mais de 50 entidades, associações de bairros e equipamentos públicos do município e de várias cidades da região como Campo Belo, Candeias, Guapé, Pitangui, Luz, Santo Antônio do Monte, Ibiá e Passos, além dos Bancos de Alimentos de Belo Horizonte, Brumadinho, Divinópolis, Pompéu, Lavras, Nova Serrana e Mesa Brasil Sesc.

Nas unidades do Projeto Horta Urbana, que é desenvolvido pelo BMA em parceria com o UNIFOR-MG e a Carmeuse Brasil, foram colhidas mais de 3 toneladas de hortaliças produzidas sem o uso de agrotóxicos e com uso racional da água.

O BMA recebeu nesse semestre, a visita de representantes de diversas cidades que vieram conhecer o trabalho e os projetos desenvolvidos pelo equipamento: Arcos, Bom Despacho, Córrego Fundo, Divinópolis, Itaúna, Lagoa Dourada, Lagoa da Prata, Luz, Passos, Perdões, Pompéu, Santo Antônio do Monte e Três Corações.

Fonte: Banco Municipal de Alimentos

print
Comentários