Redação Últimas Notícias 

A falsa notícia (fake news) de que dois vendedores de colchões estão cometendo assaltos voltou a circular em Formiga.  Em dezembro de 2015 o mesmo boato deixou grande parte da população formiguense em pânico. Este boato  já se espalhou por diversos estados do país, causando medo em moradores de várias cidades.

O boato está circulando pelo aplicativo WhatsApp e informa que os homens fingem ser vendedores de colchão, mas são ladrões e estão fortemente armados. Desta vez, o texto informa que uma mulher está agindo juntamente com os assaltantes. O texto diz ainda, que as informações são da Polícia Civil.

Ao Últimas Notícias, o delegado da 4ª Delegacia Regional da Polícia Civil em Formiga, Danilo César Basílio confirmou que a informação é falsa.

Junto com o texto está circulando a fotografia de dois homens. O portal ressalta o perigo deste tipo de boato, já que a vida de pessoas pode estar em risco.

 

Nos últimos dois meses, 27 pessoas foram assassinadas na Índia devido a boatos. Em apenas um dia, cinco pessoas foram linchadas até a morte após um boato de traficantes de crianças.

As autoridades do país cobraram uma ação do WhatsApp para controlar a propagação de fake news.

No Brasil um boato que viralizou nas redes sociais também provocou a morte de uma pessoa. Fabiane Maria de Jesus, de 33 anos, foi espancada até a morte por populares, por ter sido confundida com uma suspeita de sequestrar crianças, em maio de 2014, em Guarujá/SP.

Como identificar boatos

As notícias falsas são sempre bombásticas e em tons alarmistas. Quem tenta enganar os leitores escolhe exagerar ou inventar eventos absurdos para mexer com a emoção do público, principalmente quando as opiniões estão polarizadas.

Os textos podem até ser assinados e datados, mas, na maioria das vezes, as informações não são creditadas a alguém. Na maioria dos casos, os textos apresentam apenas uma afirmação forte, sem nenhum embasamento e é apenas a voz de quem está relatando aquela notícia.

As pessoas devem sempre pesquisar em sites confiáveis para ter certeza de que o fato ocorreu, como os portais de notícias. No Brasil existem ainda dois sites especializados em boatos, o Boatos.org e o E-Farsas.

Por fim as pessoas devem tem senso crítico e tentar deixar de lado a ansiedade que o rápido compartilhamento das notícias nas redes sociais traz.

Medidas do WhatsApp

Nesta terça-feira (10) a empresa WhatsApp liberou uma função para conter a disseminação de golpes e boatos. A função  dedura mensagens encaminhadas para todos os usuários do Android, iPhone e Windows Phone.

Imprimir
Comentários