Um boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) na segunda-feira (30) confirmou a morte de uma pessoa por dengue em Lagoa da Prata.

Além de Lagoa da Prata, outros três municípios da região Centro-Oeste registraram mortes por dengue em 2018: Arcos, Conceição do Pará e Moema.

Até julho, Lagoa da Prata registrou 569 casos prováveis, que são a junção dos casos suspeitos e casos confirmados, de dengue. O índice no município, que tem pouco mais de 50 mil habitantes, é considerado muito alto, conforme o Estado.

Arcos registrou 286 casos prováveis até agora. Moema, por sua vez, teve 66 registros. Das cidades que registraram óbito, o menor número de casos prováveis é em Conceição do Pará, que registrou quatro casos.

Alta incidência

Além de Arcos, Lagoa da Prata e Moema outros cinco municípios da região têm índices de alta incidência. O menor município do Brasil, Serra da Saudade, também aparece na lista: são três casos registrados dentre os 818 habitantes da cidade:

  • Araújos: 43 casos prováveis
  • Dores do Indaiá: 66 casos prováveis
  • Estrela do Indaiá: 51 casos prováveis
  • Japaraíba: 16 casos prováveis
  • Nova Serrana: 625 casos prováveis

Dengue

De acordo com o Ministério da Saúde, o vírus da dengue é transmitido pelo mosquito Aedes aegypti e causa doença febril aguda. Na maioria dos casos, os sintomas são leves e autolimitados. Contudo, uma pequena parcela dos infectados evolui para doença grave.

Estima-se que 2,5 bilhões de pessoas no mundo vivam em área de risco de transmissão do vírus, o que causa entre 50 milhões e 100 milhões de infecções e 20 mil mortes anualmente.

A dengue possui quatro sorotipos (DENV 1, 2, 3 e 4), todos com circulação no Brasil. A infecção por um sorotipo gera imunidade permanente para ele. No entanto, uma segunda infecção – por um outro sorotipo – é um fator de risco para o desenvolvimento da forma grave da doença.

Sintomas

A infecção por dengue pode ser sem sintomas, leve ou causar doença grave, levando à morte. Normalmente, a primeira manifestação da dengue é a febre alta (39° a 40°C), de início abrupto, que geralmente dura de dois a sete dias, acompanhada de dor de cabeça, dores no corpo e articulações, além de prostração, fraqueza, dor atrás dos olhos, erupção e coceira na pele.

Ainda segundo o Ministério da Saúde, perda de peso, náuseas e vômitos são comuns aos infectados com a doença. Na fase febril inicial da dengue, pode ser difícil diferenciá-la. A forma grave da doença inclui dor abdominal intensa e contínua, vômitos persistentes e sangramento de mucosas, entre outros sintomas. São sinais de alarme:

  • Dor abdominal intensa e contínua, ou dor à palpação do abdome;
  • Vômitos persistentes;
  • Acumulação de líquidos (ascites, derrame pleural, derrame pericárdico);
  • Sangramento de mucosa ou outra hemorragia;
  • Aumento progressivo do hematócrito;
  • Queda abrupta das plaquetas.

 

Imprimir

Fonte:

G1