O presidente da República, Jair Bolsonaro, em viagem ao Chile, confirmou neste sábado (23) que o Brasil participará da 25ª Conferência do Clima da Organização das Nações Unidas (ONU), a COP 25, que acontece neste ano.

A previsão inicial era a de que o Brasil sediasse o evento, mas, no ano passado, antes mesmo de tomar posse, Bolsonaro já havia dito que o Brasil não iria receber a conferência em razão dos custos que geraria ao país. Com a desistência brasileira, a COP 25 será realizada no Chile em novembro.

Em um pronunciamento ao lado do presidente do Chile, Sebastian Piñera, Bolsonaro afirmou que o Brasil não estará “fora” do evento, mas que não poderia “assinar um acordo onde alguns objetivos sejam impossíveis de nós atingirmos”.

O evento discute mudanças climáticas no mundo e trata de alternativas para melhorar as condições do clima, em especial a redução dos gases de efeito estufa.

“Quero agradecer Vossa Excelência pela COP 25, o Brasil não está fora, mas não podemos assinar um acordo onde alguns objetivos sejam impossíveis de nós atingirmos, se for levar em conta nossas áreas e as áreas deles, temos essa preocupação, mas, junto com ela, temos a preocupação do desenvolvimento”, disse Bolsonaro.

E acrescentou: “Agradecemos a satisfação por ocasião da COP 25 e, com certeza, todos ganharão com a participação do Brasil”.

Antes de deixar o Chile, Bolsonaro afirmou que “caso possível” estará presente da COP 25, mas se não for possível ele estará “muito bem representado” pelo ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles.

Amazônia
Durante seu pronunciamento no Chile, o presidente brasileiro afirmou ainda que a “grande preocupação” dele é a região amazônica, “que não pode continuar em risco de ser internacionalizada”.

“A grande preocupação minha é a região Amazônica, que não pode continuar em risco de ser internacionalizada, é um patriotismo da nossa parte, é uma preocupação sim de mantermos essa área sob nosso domínio”, afirmou.

Imprimir

Fonte:

G1