A política de preço dos combustíveis foi pauta de encontro do presidente Jair Bolsonaro com o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e o ministro da Economia, Paulo Guedes, na manhã desta sexta-feira (1º). A reunião começou antes das 7h30 no Palácio da Alvorada -residência oficial do Presidente da República em Brasília- e não entrou na agenda de nenhuma das três autoridades.

Após sair do local, Lira informou, por meio de uma rede social, que também discutiu “pauta da economia” e que vai passar o fim de semana debruçado em debates sobre os assuntos.

“Em reunião agora com o presidente Bolsonaro e com o ministro Paulo Guedes para discutirmos não somente o preço dos combustíveis como a pauta da economia. Como eu disse aos líderes, passaremos o final de semana em conversas e tratativas”, publicou Lira.Aumentos sucessivos no preço dos combustíveis têm gerado recorrentes críticas. Na terça-feira (28), o presidente da Câmara disparou contra Petrobras e disse que o Brasil não pode tolerar gasolina a R$ 7 o litro. Lira criticou o diretor de Comercialização e Logística da Petrobras, Claudio Mastella, e afirmou que ele é bem pago para buscar outras soluções que não o aumento dos combustíveis.

Nesta sexta, estava marcada sessão da Câmara dos Deputados para votar o projeto que define um valor fixo do Imposto sobre Serviços (ICMS) por litro de combustíveis. para os estados brasileiros, com o objetivo de controlar os preços. Mas a sessão foi aberta e encerrada em um intervalo de poucos minutos e sem nenhuma votação.

A proposta foi defendida por Bolsonaro, que também tem feito discursos para transferir a responsabilidade pelo alto valor dos combustíveis aos governadores.

Auxílio Gás Social

Arthur Lira também falou sobre o valor do botijão de gás de cozinha. Ele lembrou projeto aprovado pela Câmara nessa semana que cria o auxílio Gás Social, com valor de, no mínimo, 50% da média do preço nacional do botijão, com objetivo de subsidiar famílias de baixa renda. Ainda falta a votação da proposta no Senado.

“Com todo gás, seguimos na luta pela redução nos preços dos combustíveis, mas já temos decisões práticas. A Câmara aprovou o “Gás Social”, que corta pela metade o preço do botijão para famílias com baixa renda”, disse Lira.

Também nessa semana, a Petrobras informou que irá investir R$ 300 milhões em um programa social para garantir a compra de gás de cozinha por famílias em situação de vulnerabilidade social. O programa ainda está em fase de estudos e deve contribuir com o acesso a insumos essenciais, com foco no gás.

Fonte: O Tempo

print
Comentários