A pandemia do novo coronavírus, as medidas de contenção e o temor de uma recessão global seguem afetando os mercados pelo mundo, mas as bolsas globais e os preços do petróleo mostravam uma recuperação nesta sexta-feira (13), após o tombo na véspera.

De acordo com o portal G1, no Brasil, a Bovespa tinha forte alta e o dólar era negociado em queda.

Veja os principais destaques do dia:
• Dólar: opera em queda de 1,64%, a R$4,7095
• Ibovespa: opera em alta de 5,76%, a 76.765 pontos (chegou a disparar mais de 15%)
• Petrobras (PETR4): opera em alta de 7,86%
• Dow Jones: índice futuro opera em alta de 3%
• Barril do petróleo Brent: opera em alta de 2,65%, a US$34,10
• Barril do petróleo WTI: opera em alta de 3,05%, a US$32,46
• Bolsa de Frankfurt: opera em alta de 5,04%
• Bolsa de Paris: opera em alta de 6,10%
• Bolsa de Londres: opera em alta de 5,23%
• Bolsa de Madri: opera em alta de 5,43%
• Bolsa de Tóquio: fechou em queda de 6,08%
• Bolsa de Xangai: fechou em queda de 1,23%
• Bolsa de Seul: fechou em queda de 3,43%.


Veja os últimos destaques

• A companhia aérea Norwegian Air anunciou que cancelará 4 mil voos e demitirá temporariamente cerca de metade de seus funcionários.
• Com o tombo das bolsas da véspera, as 20 pessoas mais ricas do mundo perderam em um único dia US$ 78 bilhões, segundo cálculos da revista Forbes. Jeff Bezos, o homem mais rico do mundo, viu a sua fortuna diminuir em US$ 8 bilhões.
• A Disney anunciou na noite desta quinta-feira o fechamento de todos os parques da marca nos Estados Unidos — a Disneyland, na Califórnia, e o Walt Disney World, na Flórida –, além da Disneyland Paris.
• Em Nova York, todos os espetáculos da Broadway foram cancelados por um mês.
• No Brasil, o governo decidiu antecipar para abril o pagamento da primeira metade do 13º salário de aposentados e pensionistas do INSS.

Tombo no dia anterior

Ontem, os principais índices do mundo despencaram mais de 10% após o presidente americano, Donald Trump, anunciar a suspensão de viagens de estrangeiros procedentes de Europa por 30 dias. A perda acumulada dos índices já passa de 30% só em março.
Nos EUA, as bolsas fecharam em queda de quase 10% na quinta-feira e o índice Dow Jones teve o pior dia desde 1987.
Na Inglaterra, o índice FTSE 100 caiu 10,87% (a maior queda em mais de 30 anos). Na Alemanha, o DAX cedeu 12,24%. O CAC 40 de Paris recuou 12,28% e o Ibex 35 desabou 14,06%, segundo dados da Bloomberg.
No Brasil, o Ibovespa fechou em queda de 14,78%, o maior tombo diário em quase 22 anos. Já o dólar chegou a bater R$ 5, mas encerrou o dia a R$ 4,7882.

Fonte: G1

Imprimir
Comentários