Da Redação

O site de notícias Destak News divulgou na madrugada desta segunda-feira (7), que após criminosos incendiarem um ônibus na BR 381 no sábado (5), uma carta foi deixada com o motorista para que a mesma fosse entregue à imprensa.

O crime aconteceu com um veículo de transporte coletivo, que fazia a linha São Joaquim de Bicas/Metrô Eldorado, incendiado, no Jardim Piemonte, em Betim.

De acordo com as informações da Polícia Militar, o motorista do coletivo, relatou que estava estacionado às margens da rodovia por um problema mecânico, aguardando socorro por parte a empresa, quando dois indivíduos encapuzados o abordaram e roubaram sua carteira nacional de habilitação (CNH) e colocaram fogo no coletivo.

O Corpo de Bombeiros foi acionado para controlar as chamas e a Polícia Rodoviária Federal – PRF assumiu a ocorrência.

O motorista do ônibus incendiado relatou ainda, que os autores entregaram a ele uma carta e pediram que a mesma fosse entregue para a imprensa.

Na carta, os autores denunciam que os apenados do presídio de Formiga, na região Centro-Oeste do estado, não estão sendo ressocializados, mas torturados. Sem dar detalhes sobre as denúncias, eles reclamam de não poder cumprir pena próximo à família.

Eles pedem atenção especial das autoridades competentes para resolverem esta situação e ameaçam que se forem ignorados partirão para Formiga e “lá também, faremos com que nossa voz tenha efeito”, diz a carta.

O Últimas Notícias entrou em contato com a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública para saber as medidas que serão tomadas diante das denúncias e das ameaças.

Veja o conteúdo na íntegra:

– Reprodução Destak News


Crime semelhante

No dia 31 de agosto, outro ônibus foi incendiado na mesma rodovia e uma primeira carta com reclamações voltadas à situação da Penitenciária Nelson Hungria e o sistema penal mineiro havia sido deixada.

O veículo era particular e estava estacionado na Avenida Edméia Matos Lazzarotti. De acordo com a Polícia Militar (PM), uma equipe foi ao local e encontrou o ônibus com as chamas altas. O Corpo de Bombeiros foi acionado para combater o incêndio. As chamas foram controladas com o uso de aproximadamente 3 mil litros de água, aproximadamente. Não foi constatado dano a rede elétrica.

O dono do veículo contou aos militares que o ônibus não pegaria fogo sem intervenção externa, devido ao veículo estar sem bateria. Por volta das 6h, a PM recebeu uma denúncia de um morador que encontrou uma carta afixada na parede próximo ao local onde estava o ônibus.

O autor da carta afirma que o incêndio foi em “resposta em cima da covardia do sistema carcerário” e reclama da diretoria da Penitenciária Nelson Hungria, que fica em Contagem, também na região metropolitana da capital.

Questionada, a Sejusp disse ‘toda e qualquer denúncia relacionada ao sistema prisional é apurada’.

Manifestações em Formiga

– Fotos: Lorene Pedrosa

No dia 9 de julho, mães e esposas de presos transferidos neste ano para Formiga, alguns deles de alta periculosidade, se manifestaram em frente à Penitenciária Regional de Formiga pedindo que os apenados voltassem a cumprir pena em unidades prisionais da região metropolitana.

Várias reclamações e denúncias foram feitas à época, mas em nota enviada ao Últimas Notícias pela Sejusp foram negadas as acusações que tratavam de falta d’água nas celas, rasura de cartas, dificuldade de contato com a defesa e familiares.

Fontes: Destak News e Estado de Minas

Imprimir
Comentários