A internet brasileira tem uma das piores velocidades de conexão do mundo – é o que diz, ao menos, um estudo recente conduzido pela Netflix. Realizado com ajuda do Fast.com, ferramenta do serviço de streaming capaz de medir a velocidade de conexão de usuários de banda larga fixa, o levantamento aponta que o Brasil ficou em 33º lugar do ranking de 41 países.

Com velocidade média de 2,57 Mpbs (megabits por segundo), o Brasil ficou à frente de países como Filipinas e Índia, mas ficou atrás de vizinhos como Uruguai e Chile. A primeira colocada, a Suíça, apresentou velocidade média de 3,99 Mpbs.

O ranking do Netflix ainda mostra quais são as melhores operadoras do país: segundo o levantamento, a Live Tim lidera com 3,09 Mpbs, sendo seguida de perto por NET Virtua e GVT – operadora que foi adquirida recentemente pela Vivo, mas que ainda aparecem em levantamentos desse tipo de forma independente. Nos dois últimos lugares, Vivo e Oi, ambas com 1,94 Mpbs.

É importante lembrar, no entanto, que há uma diferença entre a velocidade apresentada pelo levantamento da Netflix e a velocidade contratada pelos brasileiros junto a seus provedores e operadoras.

Fast

Em maio deste ano, o Netflix lançou o Fast, uma ferramenta para navegadores que mede a velocidade da conexão de internet. Em agosto, o Fast ganhou uma versão em aplicativo para dispositivos móveis com sistema Android ou iOS. Assim como a versão de web, o aplicativo avalia a velocidade da internet no celular, quando conectado ao Wi-Fi ou outras redes móveis.

O serviço é bastante fácil de usar: basta acessar o site ou o aplicativo que o teste de velocidade se inicia automaticamente. A medição é baseada na velocidade com que o dispositivo acessa os servidores do Netflix.

O aplicativo é bastante leve, com apenas 307 KB, e tem uma interface bastante simplificada. O usuário pode apenas pausar o teste e reiniciar a medição. Ao contrário de outros serviços similares, o Fast não oferece detalhamento da conexão como velocidade de upload e distância do servidor.

 

 

Fonte: O Tempo Online ||

print

Comentários