O Brasil tem uma das piores redes de banda larga do mundo, segundo um estudo que analisou a Internet rápida em 42 países do mundo. Na pesquisa, conduzida pelas universidades de Oxford e Oviedo, a pedido da Cisco, o Brasil ficou à frente apenas de Chipre, México, China e Índia. Numa escala de 0 a 100 o Brasil fez 13 pontos, valor considerado inadequado para o uso de aplicativos comuns na rede hoje em dia, como navegação web, downloads de música, streaming básico de vídeo e chat por vídeo.
Os dados foram conseguidos através de testes reais de velocidade de banda larga, conduzidos por usuários do mundo inteiro pelo site www.speedtest.net, durante o mês de maio. Os três critérios utilizados pela equipe foram as velocidades de download e de upload, e latência (medida de demora na transmissão de dados).
Mais da metade dos 42 países estudados apresentaram conexões de banda larga com o nível necessário de desempenho para oferecer uma experiência consistente de qualidade para os aplicativos web mais comuns existentes atualmente. No entanto, mesmo nações européias como Reino Unido, Espanha e Itália ficaram em média abaixo desse limite.
O melhor
O Japão obteve ampla vantagem na primeira posição, sendo o único que se mostrou preparado para oferecer a qualidade necessária para os aplicativos web de próxima geração nos próximos três a cinco anos. Suíça e Holanda tiveram o melhor desempenho de conexões de banda larga na Europa, resultado dos investimentos crescentes em expansões de rede a cabo e de fibra. Aplicativos futuros incluem telepresença envolvendo consumidores, cuidados com a saúde, IPTV de alta definição, transmissões ao vivo com qualidade de cinema e automação doméstica avançada.

print
Comentários