A brasileira Isadora Williams conseguiu um feito inédito na patinação artística individual na Olimpíada de Inverno de PyeongChang. Ela se apresentou na manhã desta quarta-feira (21) na Coreia do Sul (noite dessa terça-feira no Brasil) e alcançou a melhor nota da carreira dela (55.74) no programa curto e ficou entre as 24 atletas que avançam à final (programa livre).

É a primeira vez que uma patinadora sul-americana consegue esse feito. Isadora esteve na Olimpíada de Sochi, em 2014, quando foi a primeira sul-americana a participar da prova, e terminou na 30ª e última colocação. Em PyeongChang, foi a segunda a se apresentar, logo depois da americana Bradie Tennell. Com a nota 55.74, a brasileira viu as rivais ficando para trás uma a uma. Na sequência, a ucraniana Anna Khnychenkova (47.59), a letã Diana Nikitina (51.12), a sul-coreana Hanul Kim (54.33), a sueca Anita Oestlund (49.14), a chinesa Xiangning Li (52.46) e, finalmente, a suíça Alexia Paganini (55.26). Com a confirmação da nota da suíça, seis das 30 atletas já tinham nota inferior à da brasileira. Ao fim das apresentações, Isadora avançou na 17ª posição. O programa livre acontece nesta quinta-feira (22), às 22h, horário de Brasília (sexta-feira, 10h na Coreia).

A brasileira se apresentou ao som da canção Hallelujah, interpretada por K. D. Lang. Ela ganhou a nota 29.83 nos elementos técnicos, e 25.91 nos elementos artísticos. Ao fim, foi bastante aplaudida e comemorou muito.

“Em Sochi eu não fui bem e fiquei muito triste depois da apresentação. Minha nota foi muito boa aqui, foi a minha melhor da temporada. Eu treinei mais duro, os elemntos são mais difíceis. Estou mais madura, mais experiente. As outras meninas estão muito fortes”, disse Isadora.

(Foto: Divulgação)

Zagitova x Medvedeva: duelo de titãs

No topo da classificação, dois fenômenos da Rússia. De um lado, a bicampeã mundial Evgenia Medvedeva de 18 anos e grande favorita ao ouro em PyeongChang. Do outro, Alina Zagitova de 15 anos e a última a bater a compatriota.

As feras ficaram para o último grupo de seis atletas. Medvedeva se apresentou ao som do clássico Noturno, de Chopin. Ela encantou plateia e jurados e bateu seu próprio recorde olímpico e mundial: 81.61. O problema é que Zagitova vinha em seguida. A menina escolheu o dramático Cisne Negro e foi quase perfeita. A nota 82.92 elevou o nível e estabeleceu um novo recorde olímpico e mundial na patinação artística individual feminina.

 

Fonte: G1 ||

Imprimir

Comentários