A comissão especial, composta pelos vereadores Edmar Ferreira/PT (presidente), José Gilmar Furtado ? Mazinho/DEM (Relator), e Rosimeire Ribeiro de Mendonça ? Meirinha/PMDB (membro), criada para analisar o projeto de emenda à Lei Orgânica 007/2012, de iniciativa popular, apresentou nesta quinta-feira (10), um substitutivo em co-autoria à proposição, que fixa em dez o número de vereadores do município de Formiga.
O parecer jurídico solicitado pela comissão especial foi entregue aos vereadores na quarta-feira (9). Segundo o documento, é imprescindível a conferência de 2.623 assinaturas, que correspondem a 5% dos eleitores formiguenses, visando observar se os signatários residem em Formiga, apresentam título de eleitor válido e se estão em dia com as obrigações eleitorais.
O parecer explica ainda que a comissão compareceu ao Cartório Eleitoral da Comarca de Formiga na tarde de terça-feira (8), e obteve, como resposta, a negativa ao pedido de conferência das assinaturas, justificada pela falta de tempo e de servidores para a verificação.
Ainda na terça-feira, a Câmara Municipal de Formiga recebeu um ofício assinado pelos presidentes dos partidos PSC, PT do B, e PDT, solicitando que fosse feita a conferência das assinaturas apresentadas junto ao projeto de iniciativa popular, protocolado no dia 23 de abril.
O presidente do Legislativo, Gonçalo Faria/PSB, juntamente com a vereadora Meirinha e o advogado da Câmara, Antônio Monteiro Júnior, esteve reunido com a imprensa na tarde desta quinta-feira (10) e explicou que a Câmara Municipal resolveu ?adotar? o projeto. ?Desde o princípio dissemos que íamos seguir dentro da legalidade e de acordo com a Lei Orgânica do Município. Nomeei uma comissão para analisar o projeto e em momento algum nenhum vereador questionou as assinaturas ou os títulos de eleitores. Dois membros da comissão foram ao cartório fazer a convalidação e lá disseram que não havia tempo hábil. A ideia já ocorreu em projetos federais, estamos ?adotando? o projeto, é só isso, o texto é o mesmo. Com isso dispensa as assinaturas e os títulos. De maneira alguma a Câmara Municipal quer ?bater? naquelas pessoas que assinaram a lista. Estamos vendo muito blá-blá-blá no Facebook sem nenhum fundamento?, disse.
De acordo com Meirinha, a dificuldade da convalidação partiu do Cartório e não da comissão. O substitutivo em co-autoria apresentado entrará em regime de urgência, conforme foi solicitado pelos vereadores na justificativa do projeto substituto. A intenção é de que o projeto desça para a votação na próxima segunda-feira (13). Por se tratar de um projeto de Lei Orgânica do Município se faz necessário que seja votado em 1º turno e, em seguida, outra votação após dez dias.

Imprimir
Comentários